Américas Moody's prevê vitória de Clinton

Moody's prevê vitória de Clinton

O modelo da agência de notação financeira tem em conta factores económicos e políticos que provaram ser certeiros em adivinhar o vencedor das nove eleições desde 1980. Mas as características pessoais dos candidatos podem trocar as voltas às previsões.
Moody's prevê vitória de Clinton
Reuters
Paulo Zacarias Gomes 01 de Novembro de 2016 às 23:23
Um modelo desenvolvido pela agência de rating Moody’s prevê que o baixo preço dos combustíveis nos Estados Unidos e a popularidade do presidente Obama – de saída do cargo em Janeiro – favorecem a candidata democrata Hillary Clinton na corrida presidencial da próxima semana.

De acordo com a Reuters, o modelo que já previu acertadamente a vitória de nove candidatos em eleições presidenciais desde 1980, Clinton deverá recolher 332 votos de colégios eleitorais, contra os 206 que serão conquistados pelo adversário republicano Donald Trump.

A previsão está em linha com a do projecto States of The Nation, desenvolvido pela Reuters e Ipsos, que dá a Hillary uma probabilidade de 95% de ganhar pelo menos 278 votos, mais oito que o mínimo exigido para ser eleito presidente. E surge no mesmo dia em que uma sondagem divulgada pelo jornal Washington Post coloca Trump à frente de Clinton com um ponto percentual de vantagem.

O modelo da Moody’s baseia-se na combinação de condições económicas a nível dos Estados e de elementos de história política, centrando-se na forma como as condições políticas e económicas podem favorecer o partido que ocupa a Casa Branca. Além dos preços dos combustíveis, o modelo mede ainda a variação do rendimento das famílias nos últimos dois anos e a evolução do preço das casas.

Por outro lado, são ainda analisados factores como o cansaço dos eleitores e os níveis de aprovação do actual chefe de Estado norte-americano, estando actualmente Obama a viver um dos melhores períodos do seu mandato em termos de popularidade.

Mas a ferramenta da Moody’s tem um senão: não leva em linha de conta as características pessoais particulares dos candidatos, o que "dado o invulgar ciclo eleitoral de 2016 até ao momento torna possível que os eleitores reajam de forma diferente à alteração das condições políticas do que o fizeram noutras eleições," refere o relatório da empresa.



A sua opinião2
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Criador de Touros Há 2 dias

Tenho estado muito atento às tv's americanas e jornais e parece-me que as sondagens efectuadas e a efectuar em princípio não reflectirão o peso eleitoral de afro-americanos, latinos, asiáticos e leste europeus, pelo que haverá hipótese de Hillary ganhar.Os americanos estão fartos de oito anos de governo Obama/esquerda, pelo que muitos votarão em Trump só para mudar. O Criador de Touros nunca poderia votar em Trump por ele ser mal educado, mal formado, inculto e um desastre anunciado em política externa maior do que foi Obama. E Obama foi do pior.Entre dois males eu sei escolher o mal menor. Isto à partida. As sociedades contemporâneas mediatizadas metem lixo informativo na cabeça das pessoas. As pessoas não sabem pensar.Defendam-se desta sociedade rasca, sejam católicos praticantes, ler os evangelhos com atenção, vão à missa pelo menos todos os domingos, confessem-se ao menos uma vez por ano (façam-no em Fátima, como eu faço), catequese para os vossos filhos, rezem o Pai Nosso quando tiverem dúvidas, escolhas difíceis, não se precipitem, ajudem-se com a oração, peçam a Deus que vos dê bom conselho através dos dons do Espírito Santo, sejam tementes a Deus, rezem e façam o vosso exame de consciência, a Igreja Católica é perfeita em Deus, mas é composta por pessoas falíveis como nós, não são os padres que vos perdoam os pecados se tiverem arrependimento, é Deus que perdoa, não tenham medo de serem pessoas de fé e quando caírem tornem a levantar-se com propósitos de arrependimento, sigam as pegadas dos vossos pais, avós e bisavós , que eram melhores que vocês, como os meus eram melhores que eu. Sejam inteiros !! Derrotem o mal nas vossas vidas !! É preciso dar pontapés nesta bola e estar em jogo, a nossa sociedade não se pode desagregar nos valores éticos essenciais. Imponham ritmo de fé nas vossas vidas !! Eu estou com esta conversa, mas como sabem, sou pouco bom às vezes, mas esforço-me por fazer bem e fazer o bem. Às vezes consigo e sinto-me bem. Há que meter a fasquia mais alta. Quanto aos negócios, sejam prudentes como eu sou. Estar atento sempre e ser prudente. Bons negócios e se puderem vão à missa hoje neste dia dos Fiéis Defuntos e rezem pelas almas dos vossos que já partiram e pelas almas mais necessitadas.

HUM !!! Há 2 dias

Será que o NEGOCIOS defende a eleição de Trump ? Seria bom que o NEGOCIOS se assumisse. Isto do copo meio cheio ou meio vazio, não resulta. A duvida fica no ar. Eu, neste momento, acredito que o NEGOCIOS defende a eleição de Trump. O que a ser verdade, é lamentável. Decidam-se !!!

pub
pub
pub
pub