Justiça Morada única digital disponível até ao final do ano

Morada única digital disponível até ao final do ano

O diploma que cria a morada única digital foi publicado em Diário da República, mas ainda precisa de regulamentação de cada um dos ministérios. O sistema informático é disponibilizado até ao fim do ano.
Morada única digital disponível até ao final do ano
Pedro Elias
Negócios 01 de agosto de 2017 às 10:44

A criação da morada única digital e do serviço único de notificações electrónicas, que vem possibilitar a cidadãos empresas usarem um único endereço de email para receberem comunicações e notificações dos vários serviços do Estado, foi publicada esta terça-feira, 1 de Agosto, em Diário da República. A previsão é que, até ao final do ano, o novo sistema informático esteja a funcionar. 
 

Anunciado pelo Governo ainda em 2016, o novo sistema é facultativo para cidadãos e empresas. Quem já tem caixa postal electrónica, através da Via CTT, poderá migrar para o novo sistema de morada única digital, explicou há meses a secretária de Estado da Modernização Administrativa (na foto) ao Negócios.

A ideia é que os aderentes passem a receber no seu email uma nota de liquidação de um imposto e ficar imediatamente a saber quanto tem a receber ou a pagar e, neste caso, a indicação de como o fazer. Este sistema será mais directo do que a Via CTT, onde apenas se recebe um link para a notificação.


A gestão da correspondência electrónica será feita através de uma plataforma informática, que, segundo o decreto-lei agora publicado, estará disponível até ao final do ano. 


Espera-se que, com esta medida, as receitas dos CTT se ressintam, embora os montantes dependam de várias variáveis. 




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
Saber mais e Alertas
pub