Cultura Morreu Baptista-Bastos

Morreu Baptista-Bastos

Baptista-Bastos morreu esta terça-feira vítima de doença súbita. Jornalista e escritor, tornou-se uma figura mediática com a pergunta: "onde é que você estava no 25 de Abril". No Negócios assinava há mais de 15 anos a coluna "A Caneta das Sete Léguas".
Morreu Baptista-Bastos
Bruno Simão/Negócios
Celso Filipe 09 de maio de 2017 às 18:26

Armando Baptista-Bastos, jornalista e escritor, morreu esta terça-feira, 9 de Maio, aos 84 anos, vítima de doença súbita e após um prolongado internamento hospitalar.

Baptista-Bastos, que assinava há 15 anos para o suplemento do Negócios, Weekend, a coluna semanal "A caneta das Sete Léguas", começou a sua carreira jornalística em O Século, tendo passado por jornais como A República, O Diário, Sábado e Diário Popular, tendo sido também fundador do semanário O Ponto.

Baptista-Bastos, que nasceu em Lisboa a 27 de Fevereiro de 1934, frequentou a escola de Artes Decorativas António Arroyo e o Liceu Francês, tendo-se destacado também como escritor, actividade em que foi os prémios PEN Clube Português de Novelística (1988), da Crítica da Associação Portuguesa de Críticos Literários (2002) e Clube Literário do Porto. Entre os 21 livros que publicou contam-se "O Passo da Serpente", "Capitão de Médio Curso", Elegia para um Caixão Vazio" e "A Colina de Cristal".

Tal como consta na sua nota biográfica no site do Negócios, em Abril de 1999, a Direcção do matutino Público convidou-o a realizar uma série de dezasseis entrevistas, subordinadas ao tema: "Onde é que Você Estava no 25 de Abril?", que desencadeou grandes polémicas e constituiu um assinalável êxito jornalístico. Doze dessas entrevistas (com Álvaro Guerra, Carlos Brito, D. Januário Torgal Ferreira, Emídio Rangel, Fernando de Velasco, Hermínio da Palma Inácio, João Coito, Joshua Ruah, general Kaúlza de Arriaga, Manuel de Mello, padre Mário de Oliveira e Pedro Feytor Pinto) foram inseridas num CD-Rom (que teve uma tiragem de 55 mil exemplares), juntamente com a edição de 25 de Abril de 1999 daquele jornal.

O Negócios endereça à família enlutada as mais sentidas condolências.




A sua opinião4
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado IS 10.05.2017

Lamento o desaparecimento de um escritor de enorme qualidade e envio à família as minhas condolências.

comentários mais recentes
IS 10.05.2017

Lamento o desaparecimento de um escritor de enorme qualidade e envio à família as minhas condolências.

suiriri 09.05.2017

Mais uma vez um brilhante comentário de Marcelo Rebelo de Sousa acerca de Batista Bastos, um Homem vertical, um intelectual e grande jornalista e um exemplo para todos. Por acaso tenho no meu escritório uma foto com ele na parede, outra com Marcelo Rebelo de
Sousa (não uma selfi), com Jse saramago, com Urbano Tavares Rodrigues e outros grandes escritores portugeses e brasileiros...Os meus pesâmes à família de Baptista Bastos

Manuel Azevedo 09.05.2017

Gostava de ler a suas crónicas neste jornal , a diversidades de opiniões e ponto de vistas é que enriquece a cultura de uma nação! Fiquei entristecido com a notícia. Desçansa em Paz Baptista-Bastos

Anónimo 09.05.2017

Onde andavam os fachos no 25 de Abril e onde eles andam agora... falta outro Baptista para responder a esta incómoda pergunta...

pub