Economia Morreu Manuel Martins, o bispo "vermelho"

Morreu Manuel Martins, o bispo "vermelho"

Manuel Martins, bispo de Setúbal entre 1975 e 1998, morreu este domingo, aos 90 anos, informou a Diocese de Setúbal.
Morreu Manuel Martins, o bispo "vermelho"
D.R.
Lusa 24 de setembro de 2017 às 16:59

Um comunicado da Diocese de Setúbal informou que Manuel Martins "faleceu hoje, às 14h05, acompanhado dos seus familiares e após receber a Santa Unção" de um pároco local, sem referir o local da morte.

 

A diocese sublinha que Manuel Martins foi o primeiro bispo de Setúbal, nomeado em 1975. Não foram divulgadas, por enquanto, informações sobre o funeral.

 

Manuel Martins chegou a ser conhecido por "bispo vermelho", durante a crise dos anos 80, pelas denúncias que fez de situações de pobreza e de fome na região.

 

Nascido em 20 de janeiro de 1927, em Leça do Bailio, Matosinhos, Manuel da Silva Martins estudou no seminário do Porto e, mais tarde, na Universidade Gregoriana, em Roma.

 

Foi pároco de Cedofeita, nos nove anos de exílio do bispo do Porto António Ferreira Gomes (1960-1969), durante o Estado Novo, e foi vigário geral após o regresso do prelado.

 

Em 1975, um ano após o 25 de Abril de 1974, foi o ano da nomeação de Manuel Martins para bispo da diocese de Setúbal, de onde só saiu 23 anos depois, em 1998. 

 

Foi presidente da comissão episcopal da Ação Social e Caritativa e da Comissão Episcopal das Migrações e Turismo, e da secção portuguesa da Pax Christi. 




A sua opinião4
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo Há 3 semanas

Lembrei-me dele quando recentemente fizeram greve na Autoeuropa!
Paz à sua alma

Sempre ajudou os que mais precisavam. Há 3 semanas

Fui a Bento no Porto despedir-me dele quando foi exilado,e estavam lá milhares de pessoas e veio a PIDE e deu porrada em toda a gente,com santos júnior a comandar os carrascos do Povo.paz há sua alma que foi um grande homem,que merece respeito.

Aliança povo/MFA Há 3 semanas

Goetava de o ter visto a opôr-se à destrição do país e da zona de Setúbal pela tropa e pelos comunistas,quando a rua é que mandava nunca dei por ele ,se calhar foi caridoso para os destruidores que nem a água mereciam . Já o Bispo do Porto disse :os cordeiros de outrora são os lobos de hoje

Grande homem era frontal em defesa dos mais fracos Há 3 semanas

Conheci em criança no Porto,sempre lutou contra a ditadura do estado novo,contra a guerra no ultramar.Paz há sua alma.

pub