Mundo Morreu o antigo ditador do Panamá Manuel Noriega

Morreu o antigo ditador do Panamá Manuel Noriega

O antigo ditador do Panamá Manuel Noriega, que estava hospitalizado desde Março na sequência de um tumor cerebral, morreu, esta madrugada, aos 83 anos, informaram hoje fontes governamentais e hospitalares.
Morreu o antigo ditador do Panamá Manuel Noriega
Reuters
Lusa 30 de maio de 2017 às 07:40

"O senhor Noriega morreu esta noite", declarou o secretário de Estado da Comunicação do Panamá, Manuel Doninguez, à agência noticiosa francesa AFP.

 

Manuel Noriega foi operado, em 7 de Março, a um tumor benigno no cérebro no hospital público de Santo Tomás, o maior do país, mas sofreu, de seguida, uma hemorragia cerebral e, depois de submetido a nova intervenção cirúrgica, ficou em estado crítico, tendo sido colocado na unidade de cuidados intensivos.

 

Manuel Noriega, que esteve na prisão por corrupção e assassínio de opositores durante o seu regime entre 1983 e 1989, foi transferido para prisão domiciliária, em 29 de Janeiro, para se preparar para a operação, que estava inicialmente prevista para Fevereiro.

 

A sua família pediu, por diversas vezes, em vão, para que ficasse a cumprir a pena em casa - de forma permanente e não temporária -, dado que sofreu uma série de hemorragias cerebrais e complicações pulmonares, além de padecer de um cancro da próstata e depressão.

 

Homem forte do Panamá de 1983 e 1989, Noriega foi deposto durante uma invasão norte-americana, em 20 de Novembro de 1989, em que morreram cerca de 500 pessoas.

 

Manuel Noriega foi extraditado para o Panamá em 11 de Dezembro de 2011, após mais de 20 anos de prisão nos Estados Unidos e em França por tráfico de droga e lavagem de dinheiro.

 

Desde então, Noriega, que pediu perdão pelas atrocidades cometidas durante os anos em que esteve no poder em Junho de 2015, cumpria três penas de 20 anos de cadeia pelo desaparecimento de dois opositores e pela repressão sangrenta de militares que o tentaram depor.


A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub