Economia Morreu presidente da Câmara de Matosinhos

Morreu presidente da Câmara de Matosinhos

Guilherme Pinto morreu esta madrugada. Velório realiza-se nos Paços do Concelho.
Morreu presidente da Câmara de Matosinhos
Paulo Duarte/Negócios
Negócios 08 de janeiro de 2017 às 09:11
O presidente da Câmara Municipal de Matosinhos, Guilherme  Pinto, morreu esta madrugada, vítima de doença prolongada. 

"Guilherme Pinto morreu em casa, junto da família, e de modo tranquilo, após mais de dois anos de luta contra a doença", diz um comunicado da autarquia, citado pela Lusa.

O velório realiza-se no salão nobre dos Paços do Concelho. Na segunda-feira, o corpo sairá pelas 15:30 para a igreja do Senhor de Matosinhos, onde vai decorrer uma missa pelo bispo do Porto, António Francisco dos Santos.

O autarca apresentou no início da semana o pedido de renúncia ao mandato, devido ao seu estado de saúde, uma decisão que produziria efeito a partir de 1 de Fevereiro.

Na terça-feira, um dia depois de renunciar ao mandato (o terceiro que cumpria), Guilherme Pinto anunciou o seu regresso formal ao PS, que deixou em 2013 para apresentar uma candidatura autárquica independente com a qual venceu as eleições desse ano.

O regresso, explicou, surgiu "em sinal de agradecimento" pelo apoio recebido do partido, "sem trair o estatuto de independente com que se apresentou nas eleições autárquicas de 2013".

"Isto é algo que só foi possível graças a António Costa e à relação excepcional que mantenho com ele", afirmou Guilherme Pinto, que viu a sua ficha de reingresso assinada pelo próprio secretário-geral do partido e pelo presidente da Federação Distrital do Porto, Manuel Pizarro.

Guilherme Pinto apresentou também o pedido de demissão de diversos cargos que desempenhava, nomeadamente a presidência do Fórum Europeu de Segurança Urbana, a presidência do Conselho de Administração da Rede Europeia das Cidades e Escolas de Segunda Oportunidade e a presidência da Casa da Arquitetura.

O autarca iria encabeçar a Comissão de Honra da candidatura socialista da deputada Luísa Salgueiro à Câmara de Matosinhos.

Vice-presidente da Câmara de Matosinhos desde 2001, Guilherme Pinto apresentou, pelo Partido Socialista, a sua primeira candidatura à liderança da autarquia em Julho de 2005, numa altura em que profundas clivagens haviam marcado o PS local.

Nas últimas eleições autárquicas, em 2013, apresentou-se como independente contra o líder da concelhia do PS e presidente da Junta de Freguesia de Matosinhos, António Parada, que também decidiu avançar.

Enquanto candidato independente, acabou por vencer por maioria absoluta as eleições de Setembro de 2013, pondo fim àquele que era um bastião socialista há 37 anos.

"Fizemos história", disse por várias vezes no seu discurso de vitória, referindo que, quando os cidadãos querem, não se fica sujeito "à ditadura dos partidos".

(Notícia actualizada com mais informações)

A sua opinião3
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo 08.01.2017

Acredito que na politica 1/1000 é sério, se for este caso, morreu um homem bom se não, o diabo que te leve.

Carlos 08.01.2017

As células não reconhecem postos políticos. Só as células reconhecem que 'todos diferentes, todos iguais' Se o poder comprasse a biologia... e os sem abrigo não têm doenças prolongadas. Que paradoxo!

Anónimo 08.01.2017

Esperemos que ainda fiquem alguns atraz,e nao vao todos para a cidade da borga carnavalar,e que o homem tem direito de ser levado ao lugar para o qual assinou quando nasceu.Independentemente da cor politica o meu respeito pela luta travada contra a doenca.As minhas sinceras condolencias aos doridos.

pub