Economia Mortágua: “Não há plano B, é preciso é aprofundar a recuperação de rendimentos”

Mortágua: “Não há plano B, é preciso é aprofundar a recuperação de rendimentos”

A deputada do Bloco de Esquerda Mariana Mortágua deixou um aviso ao Governo: não deve haver um plano B, mas sim a continuação do plano A do Governo, que é a recuperação de rendimentos.
Mortágua: “Não há plano B, é preciso é aprofundar a recuperação de rendimentos”
Bruno Simão
Bruno Simões 23 de fevereiro de 2016 às 11:48

O Bloco de Esquerda espera que o Governo não se desvie dos seus compromissos e não está a contar com um plano B, como tem sido permanentemente afirmado pelo PSD durante o debate do Orçamento do Estado para 2016. "Não há plano B, quem se comprometeu com estratégia de combate contra o empobrecimento e pelo crescimento económico, só pode aprofundar o plano A, a equidade fiscal, a devolução de rendimentos", afirmou Mariana Mortágua.

 

"Quem está comprometido com uma alternativa para o país não tem um plano B, só tem um plano A que é aprofundar a recuperação de rendimentos, e espero que o senhor ministro me acompanhe nesta vontade", reafirmou a deputada, que questionava o ministro das Finanças, Mário Centeno, depois de este ter aberto o segundo dia de debate do OE.

 

O PSD tem lembrado em praticamente todas as intervenções que o OE 2016 é "intercalar", porque está a ser preparado um plano B a apresentar a Bruxelas. Esse plano B está a ser preparado pelo Governo, que acredita que não vai ser necessário aplicar as suas medidas.

 

Mortágua também respondeu ao PSD. "O PSD vem aqui antever o tal plano B da austeridade. É mais um desejo do que uma previsão, faz parte da estratégia de ficar sentado à espera que o poder lhe caia no colo", acusou. A deputada descreveu a postura do partido de Passos Coelho: por "vergonha em apresentar a sua alternativa" não "apresenta propostas, não vem a debate" e "continua a estar na bancada à espera que apareça um árbitro chamado Comissão Europeia que pare o jogo e devolva à direita um direito, que considera natural, de governar".

 

Essa é uma estratégia que "pode correr mal, porque se ficarem sentados à espera o mais provável é que as coisas corram bem". Para a deputada bloquista, "o OE não é um risco para os mercados, os mercados é que são um risco para Portugal", tal como é "Bruxelas" que "é um risco para o OE e para Portugal".

Mário Centeno garantiu que o caminho de recuperação de rendimentos é para manter, pelo que o plano B não vai incluir medidas que resultem no corte de salários ou pensões.


A sua opinião4
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Ciifrão 23.02.2016

Começa as redundância do discurso, o problema de quem tem um vocabulário limitado.

comentários mais recentes
Anónimo 24.02.2016

O Costa tem plano B, vai pedir ajuda PSD/CDS!

Beruno 23.02.2016

Mariana Copperfield irá devolver a todos nós os rendimentos que tínhamos e que não tínhamos, com dinheiro que não tínhamos e não teremos.

esforcem-se por tornar o pais superavit, e ai sim poderemos pensar num Bom Estado Social sem que os nossos netos tenham que pagar a fatura

Ciifrão 23.02.2016

Começa as redundância do discurso, o problema de quem tem um vocabulário limitado.

pajosousa007 23.02.2016

Plano B = IVA

pub
pub
pub
}
pub