Política AR levanta imunidade de deputado do PSD que foi ao Euro a convite da Galp

AR levanta imunidade de deputado do PSD que foi ao Euro a convite da Galp

A Assembleia da República aceitou o pedido feito pelo Ministério Público para o levantamento da imunidade parlamentar do deputado social-democrata Cristóvão Norte, que viajou a convite da Galp para assistir a um jogo da selecção nacional no Euro 2016.
AR levanta imunidade de deputado do PSD que foi ao Euro a convite da Galp
Direitos Reservados
David Santiago 19 de julho de 2017 às 16:40

Continuam a fazer-se sentir os efeitos do chamado "Galpgate", depois de o Ministério Público ter pedido o levantamento da imunidade parlamentar do deputado do PSD, Cristóvão Norte, que no Verão do ano passado também assistiu, a convite da Galp, a um jogo da selecção nacional de futebol no Euro 2016, realizado em França.

O pedido foi endereçado na passada segunda-feira e aceite já esta quarta-feira, 19 de Julho, após decisão tomada pela subcomissão de Ética. A notícia avançada pelo Expresso já dava conta de que a AR deveria dar resposta afirmativa ainda durante o dia de hoje.

Segundo o Expresso, o pedido do MP para o levantamento da imunidade parlamentar de Cristóvão Norte tem por objectivo ouvir e constituir o deputado como arguido no âmbito de uma investigação às viagens de políticos para assistirem a jogos do Europeu de Futebol do ano passado.

 

Apesar de, contactado pelo Expresso, o deputado não querer prestar declarações adicionais sobre o assunto, fonte oficial do PSD contactada pelo Negócios remete para as declarações feitas há cerca de um ano pelo deputado Cristóvão Norte.

 

Nessa altura e já depois de ter estalado a polémica relacionada com a ida a França, também a convite da Galp, de três secretários de Estado (Rocha Andrade, João Vasconcelos e Jorge Costa Oliveira) – que há pouco mais de uma semana pediram exoneração dos respectivos cargos, solicitando a sua constituição como arguidos – Cristóvão Norte admitia ter aceitado o convite da petrolífera considerando que o mesmo não era de "natureza institucional".

Ao Observador, o deputado do PSD explicava então que o convite lhe foi dirigido por um amigo pessoal, o que o levou a aceitar já que se trata de "uma relação de amizade que tem a ver com aquela pessoa e não com a empresa onde trabalha". Seja como for, Norte admitia ter sido a Galp, e não o amigo, a pagar as despesas da viagem: "Sim, presumo que tenha sido".

 

Na semana passada, a SIC noticiou que estava em curso uma investigação paralela ao "Galpgate" que dava conta de uma investigação a viagens feitas por políticos ao Euro 2016, feitas através da agência de viagens Cosmos.

 

Além de Cristóvão Norte, também os deputados social-democratas Luís Montenegro, Hugo Soares e Luís Campos Ferreira foram ver jogos do Euro 2016 a convite de Joaquim Oliveira, dono da Olivedesportos que, por sua vez, detém a Cosmos. Porém, ao contrário destes três deputados, Norte não justificou a falta aos trabalhos parlamentares com a viagem até França. 





pub