União Europeia Na semana decisiva para o Brexit admite-se plano de contingência para um não acordo

Na semana decisiva para o Brexit admite-se plano de contingência para um não acordo

Esta poderá ser uma semana decisiva para o Brexit. Theresa May fala no Parlamento e há notícias de que poderá ser accionado o início do processo até ao final da semana. Enquanto isso, o ministro do Brexit assume haver um plano de contingência para o caso de as negociações falharem.
Na semana decisiva para o Brexit admite-se plano de contingência para um não acordo
Chris Ratcliffe/Bloomberg
Alexandra Machado 12 de março de 2017 às 20:18

O Parlamento britânico vai votar esta segunda-feira a lei que autoriza a primeira-ministra Theresa May a iniciar o processo formal de negociações com a União Europeia para a saída do Reino Unido do grupo.

Theresa May vai dirigir-se aos parlamentares no dia seguinte, na terça-feira, o que para alguns membros do governo está a ser visto como o dia em que o processo poderá arrancar.

O Reino Unido tem dito, e oficialmente é o que continua a declarar, que tenciona accionar o artigo 50.º até ao final do mês de Março. Mas este sábado o Financial Times falou com um alto representante do Governo de May que disse esperar que o início do processo tenha lugar na próxima semana, já a partir de terça-feira, dia em que Theresa May se dirige ao Parlamento. E se, na segunda-feira, a lei for aprovada, apesar de um grupo pequeno de deputados do Partido Conservador estarem a fazer o caminho da oposição à lei. Ainda assim ninguém acredita que esse grupo possa, de facto, conseguir bloquear o processo de saída da União.

Em entrevista à BBC, o ministro do Brexit, David Davis, pediu aos deputados para não atarem as mãos da primeira-ministra, mas recusou-se a comentar a data para início do processo. "Qualquer data tem implicações distintas", declarou, citado pela Reuters. Oficialmente, Downing Street continua a apontar o final do mês como data para o arranque do processo com a União Europeia.

Se acontecer o pedido esta semana, os até agora parceiros europeus dizem estar preparados para dar uma resposta em 48 horas. Donald Tusk - que na quinta-feira foi reeleito presidente do Conselho Europeu com o único voto contra do seu país de origem, a Polónia – afiançou que "estamos bem preparados para todo o procedimento [do Brexit] e não tenho qualquer dúvida que estaremos preparados em 48 horas".

Angela Merkel também já admitiu que se o pedido for feito esta semana, os 27 membros poderiam encontrar-se a 6 de Abril para acordar um guião para as negociações.

Plano contingência

O Reino Unido está a desenvolver um plano de contingência para o caso do acordo com a União Europeia não ser possível de alcançar. A garantia foi dada este domingo pelo ministro do Brexit, David Davis, nessa mesma entrevista.

Já não é a primeira vez que se admite no Reino Unido haver um Brexit sem acordo, agora David Davis confirma que está a ser feito um plano para essa eventualidade, esclarecendo que têm um plano com qualquer um dos cenários. "Uma das razões que não falamos muito sobre o plano de contingência é porque não queremos que as pessoas pensem que é o que estamos a tentar fazer".

À BBC, David Davis afirma, no entanto, que é um cenário que está a ser preparado, mas que não lhe parece provável de acontecer. "Não penso que seja possível", disse à BBC, acrescentando ser do interesse de toda a gente que se alcance um acordo.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub