Economia Na hora da despedida, Moreira da Silva agradece ao PSD, a Passos Coelho e ao Governo

Na hora da despedida, Moreira da Silva agradece ao PSD, a Passos Coelho e ao Governo

Moreira da Silva está "satisfeito" pelo regresso à "protecção ambiental e combate à pobreza” a nível internacional. O ex-ministro abandona o Parlamento português no final de Outubro para rumar à OCDE.
Na hora da despedida, Moreira da Silva agradece ao PSD, a Passos Coelho e ao Governo
Miguel Baltazar/Negócios
André Cabrita-Mendes 19 de Outubro de 2016 às 13:15
A caminho da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE) Jorge Moreira da Silva escreveu uma carta de despedida a Portugal.

Na missiva, o deputado anuncia a sua saída do Parlamento no dia 31 de Outubro, agradece ao PSD e a Passos Coelho, e também ao Governo de António Costa por o ter ajudado na candidatura.

"Estou obviamente muito satisfeito com esta decisão da OCDE e com a possibilidade de voltar a participar activamente, a nível internacional, nas políticas de desenvolvimento e cooperação, protecção ambiental e combate à pobreza", disse Moreira da Silva em comunicado publicado nas redes sociais esta quarta-feira, 19 de Outubro.

Prossegue depois a carta, agradecendo ao PSD, do qual é vice-presidente, tendo também integrado o Governo anterior, como ministro do Ambiente. 

"Sinto-me muito honrado por ter colaborado de forma muito próxima, tanto no PSD como no Governo, no projecto liderado por Pedro Passos Coelho, por quem tenho uma grande admiração e em quem deposito as minhas maiores esperanças".

O deputado superou 200 candidatos para o cargo de director da Cooperação para o Desenvolvimento da OCDE, que vai ocupar durante três anos. "Este posto de direcção tem responsabilidades de liderança das actividades da OCDE na área da cooperação para o desenvolvimento", explica Moreira da Silva.

Apesar de ter sido uma "candidatura individual", o deputado agradece o "apoio dado" pelo "Ministério dos Negócios Estrangeiros, nomeadamente, da parte do ministro Augusto Santos Silva, da secretária de Estado Teresa Ribeiro e do embaixador Paulo Vizeu Pinheiro, representante de Portugal na OCDE".


"Este é o tempo de passarmos à acção a nível global e sinto-me muito motivado para assumir estas funções executivas", conclui Jorge Moreira da Silva.




A sua opinião33
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Paulo Pimenta Há 2 semanas

Outro a caminho de um TACHO MAIOR !!!!

comentários mais recentes
José Fidalgo D' Abreu Avelar Há 2 semanas

Parabéns. Sucesso

Dizem mal de tudo, estes esquerdistas Há 2 semanas

A contenção nos sacos de plásticos resultou, não no que respeito as verbas que era previsível arrecadar, mas não era esse o objectivo, era que fossem utilizados menos sacos por causa do ambiente e isso ,é e foi um sucesso

Dizem mal de tudo, estes esquerdistas Há 2 semanas

A contenção nos sacos de plásticos resultou, não no que respeito as verbas que era previsível arrecadar, mas não era esse o objectivo, era que fossem utilizados menos sacos por causa do ambiente e isso ,é e foi um sucesso

Dizem mal de tudo, estes esquerdistas Há 2 semanas

A contenção nos sacos de plásticos resultou, não no que respeito as verbas que era previsível arrecadar, mas não era esse o objectivo, era que fossem utilizados menos sacos por causa do ambiente e isso ,é e foi um sucesso

ver mais comentários
pub
pub
pub
pub