Mundo NATO diz que Rússia excedeu número de militares e alcance de manobra perto da UE

NATO diz que Rússia excedeu número de militares e alcance de manobra perto da UE

A Aliança Atlântica garante que os exercícios militares conjuntos da Rússia e da Bielorrússia realizado próximo da União Europeia "excederam significativamente" o número de militares e o alcance geográfico que tinha sido anunciado por Moscovo.
NATO diz que Rússia excedeu número de militares e alcance de manobra perto da UE
Reuters
Lusa 26 de outubro de 2017 às 15:29
A NATO disse hoje à Rússia que o exercício militar 'Zapad-2017' que realizou com a Bielorrússia e próximo da União Europeia "excederam significativamente" o número de militares e o alcance geográfico anunciados previamente por Moscovo.

"Hoje trocámos informação sobre exercícios recentes. Os Aliados deixaram claro que a escala e alcance geográfico do exercício 'Zapad-2017' (Oeste-2017) excedeu significativamente o que a Rússia tinha anunciado previamente", disse o secretário-geral da Aliança, Jens Stoltenberg, numa conferência de imprensa após o terceiro conselho NATO-Rússia deste ano.

A reunião de embaixadores, que decorreu de forma "franca e aberta", segundo o responsável, serviu para muitos Aliados apontarem a existência de "discrepâncias entre o que a Rússia informou antes do exercício e o número real, a escala e alcance" da manobra militar.

Para Stoltenberg, tais "discrepâncias" reforçam a necessidade de manter o diálogo com a Rússia, com o objectivo de se poder "fazer perguntas" após a realização de um exercício.

O secretário-geral sublinhou que a transparência e a redução de riscos continua a ser um assunto "vital" no Conselho NATO-Rússia, depois de ano passado ambas as partes terem iniciado um diálogo sobre segurança aérea na região do Báltico, face ao aumento de exercícios militares.

A NATO insiste que a Rússia deve cumprir o documento de Viena da Organização para a Segurança e Cooperação na Europa (OSCE) sobre transparência de exercícios militares.

Cerca de 12.700 militares bielorrussos e russos terão participar na operação Zapad-2017, entre 14 e 20 de Setembro, ao sul da fronteira lituana, de acordo com Moscovo.

Moscovo anunciou, este mês, o regresso de todas as forças que participaram nas manobras conjuntas.

"Estamos a avaliar o exercício, mas neste momento não temos qualquer evidência de que tenham deixado tropas" russas na Bielorrússia, indicou Stoltenberg.

Além disso, os aliados e a Rússia voltaram a constatar que mantêm "diferenças fundamentais" sobre a crise na Ucrânia, cujo leste continua controlado por rebeldes separatistas pró-russos.

"Este conflito continua a ter um impacto profundo na segurança e na estabilidade da região euro-atlântica e continua a ser a principal razão do estado actual das relações entre a NATO e a Rússia", que actualmente mantêm suspensa a sua cooperação prática, disse o secretário-geral.

Stoltenberg insistiu na total aplicação dos acordos de paz de Minsk e denunciou que prosseguem violações do cessar-fogo, assim como a presença de armas na região.

Outro ponto de discórdia entre as duas partes é a situação do Afeganistão, referiu Stoltenberg, mas ambos concordam na necessidade de "garantir a segurança e a estabilidade" daquele país, onde a NATO mantém uma missão de assessoria e formação de forças de segurança do país.



A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub