Américas Nomeado de Trump para secretário do Exército já não quer ser considerado para o cargo

Nomeado de Trump para secretário do Exército já não quer ser considerado para o cargo

O empresário Vincent Viola alegou incapacidade para navegar com sucesso pelo processo de confirmação e regras do Departamento da Defesa devido aos negócios da sua família.
Nomeado de Trump para secretário do Exército já não quer ser considerado para o cargo
Bloomberg
Lusa 04 de fevereiro de 2017 às 11:52
O nomeado do Presidente Donald Trump para secretário do Exército dos Estados Unidos, o empresário Vincent Viola, retirou o seu nome de consideração para o lugar.

O secretário da Defesa Jim Mattis disse-se desapontado mas afirmou compreender e respeitar a decisão de Viola, de acordo com um comunicado do Pentágono. Mattis vai recomendar outro candidato, em breve, a Trump, indica o documento.

O jornal Military Times noticiou que Viola disse, em comunicado, que tinha ficado "profundamente honrado" com a nomeação, mas alegou incapacidade para navegar com sucesso pelo processo de confirmação e regras do Departamento da Defesa devido aos negócios da sua família.

Filho de imigrantes italianos, Viola, de 60 anos, é dono actualmente, entre outras coisas, da equipa de hóquei no gelo Panteras da Florida e da Virtu Financial, uma das maiores empresas da área do comércio 'online'. Foi também presidente da Bolsa Mercantil de Nova Iorque.

Casado e com três filhos, Vincent Viola tem um forte vínculo com o mundo militar, uma vez que frequentou e graduou-se na prestigiada academia militar de West Point.

Após os atentados terroristas de 11 de Setembro de 2001, fundou o Centro de Luta contra o Terrorismo em West Point e a companhia tecnológica Rowan Technology Solutions, para apoiar a educação de cadetes nas vertentes de história militar, ciência militar e liderança.



A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
conselheiro de estado Há 2 semanas

Nao vejo onde possa estar o mal.Se me convidassem para presidente da republica teria feito o mesmo.So em pensar que tinha de mudar para uma cidade paralisada de burguesia intoxicada,morria antes.

pub