Impostos Nova isenção de IRS beneficia salários brutos até 669 euros
Assinatura Digital. Negócios Primeiro Para ler tudo faça LOGIN ou ASSINE

Nova isenção de IRS beneficia salários brutos até 669 euros

O aumento do mínimo de existência do IRS vai beneficiar contribuintes com salários mensais entre 607 e 669 euros. O impacto não é progressivo, sendo tanto maior quanto mais próximo estiver o rendimento do trabalhador dos 639 euros. Os cálculos são da PwC.
Nova isenção de IRS beneficia salários brutos até 669 euros
Miguel Baltazar/Negócios
Manuel Esteves 10 de setembro de 2017 às 23:30

O reforço do chamado mínimo de existência do IRS vai beneficiar directamente todos os contribuintes que tenham rendimentos anuais entre 8.500 euros e 9.362,5 euros, o que corresponde a um rendimento mensal de 607 e 669 euros (dividindo )

Assinatura Digital. Negócios Primeiro
Para ler tudo faça LOGIN ou ASSINE
Análise, informação independente e rigorosa.
Para saber o que se passa em Portugal e no mundo,
nas empresas, nos mercados e na economia.
  • Inclui acesso ao ePaper, a versão do Negócios tal como é impresso em papel. Veja aqui.
  • Acesso ilimitado a todo o site negocios.pt
  • Acesso ilimitado via apps iPad, iPhone, Android e Windows
Saiba mais



A sua opinião9
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado GabrielOrfaoGoncalves 11.09.2017

Para tirar as pessoas da pobreza é preciso reformular o sistema de ensino (mais ensino profissional feito parcialmente através de estágios já nas empresas) e criar condições para haver investimento, quer com capitais nacionais quer estrangeiros.
Neste momento os pimpolhos saem da escola ao fim de 12 de escolaridade obrigatória e a maior parte deles não consegue interpretar um texto como o desta notícia. Como não aprenderam ofício nenhum, vão fazer o quê? Nada que lhes dê grande retorno monetário. Por isso já dizia o outro que isto assim está destinado a ser um país de atendedores de call-centers e de empregadas de quarto de hotéis.
Sem a aprendizagem de profissões como torneiro, soldador, operador de grua, técnico de manutenção de maquinaria industrial / linhas de montagem, etc., este país há-de pagar cada vez mais salários mínimos. E salários mínimos nunca poderão pagar muitos impostos.
É o caminho para a pobreza, se não se reformular o sistema de ensino.

(assinante do JdNegócios)

comentários mais recentes
Anónimo 12.09.2017

O mínimo de existência para 2018 está muito mal explicado. As contas não sei batem certo. A lei diz rendimento bruto e não líquido. Rendimento mensal x14. Se o salário é de 669 euros o anual é de 9366 euros. Casais e solteiros sem filhos menores pagam irs acima do mínimo de exis

Anónimo 11.09.2017

Todos os contribuintes beneficiam desta isenção porque mesmo num salário declarado de 3000 euros os primeiros 669 estão isentos. Ou seja, o problema mantém-se nos que declaram 669 mas recebem 3000. Esses não pagam nada de IRS... e recebem abonos família completos livros escolares gratuitos etc...

Anónimo 11.09.2017

Pois 50% pagam IRS. Os outros 50% acham que tudo a que tem direito não lhes cabe a eles pagar , os outros que paguem.De facto o PS gosta muito dos eleitores que o elegeram.Estava em estado de graça, mas parece que finalmente os portugueses acordaram, nas sondagens começa a descer.Estamos no começo

Hilário 11.09.2017

Em Chipre, até 1750 euros por mês só se paga segurança social. Não há políticos em nenhum país da UE que vivam mais do trabalho dos outros do que Portugal. Este governo é uma M*RDA!!

ver mais comentários
Notícias só para Assinantes
Exclusivos, análise, informação independente e credível. Para saber o que se passa em Portugal e no mundo, nas empresas, nos mercados e na economia. Inclui acesso à versão ePaper.
Mais uma forma de ler as histórias
da edição impressa do Negócios.
Se ainda não é Assinante Saiba mais
pub