Economia Nova "Pordata global" quer ir além do PIB

Nova "Pordata global" quer ir além do PIB

Está online desde ontem, mas o lançamento oficial é apenas hoje em Florença. Chama-se GlobalStat e é a nova base de dados da Fundação Francisco Manuel dos Santos (FFMS), que pretende que ela seja para o mundo aquilo que o Pordata é para Portugal.
Nova "Pordata global" quer ir além do PIB
Nuno Aguiar 07 de maio de 2015 às 16:14

Com mais de 500 indicadores para 193 países ao longo de mais de cinco décadas, o GlobalStat pretende tornar o acesso aos dados estatísticos mais fácil e rápido. O modelo é semelhante aquele que foi utilizado para criar o Pordata há cinco anos. Utilizar bases de dados públicas (do INE ou do Eurostat, por exemplo), hierarquizando-os e conferindo-lhes maior facilidade de navegação. A diferença é que, em vez de ter como alvo apenas Portugal, a GlobalStat divulga informação sobre todo o mundo, utilizando mais de 80 fontes diferentes.

 

"O método é o mesmo, mas não é uma réplica", explica Nuno Garoupa, presidente da FFMS, em Florença para o lançamento da plataforma. "[Na GlobalStat], os indicadores não vão tão atrás e alguns dados não são certificados. Por exemplo, o Banco Mundial diz que o PIB do Togo é X, mas não certifica esse valor."

 

Talvez onde a diferença seja maior é na construção de uma narrativa. Enquanto o Pordata divulga os dados que existem, com a mesma categorização que, por exemplo, o INE faz. A GlobalStat tentará "contar uma história". A orientar o site está a ideia de ir "para além do PIB". O produto interno bruto pode ser útil para medir a produção, mas é limitado ser for usado como única métrica de progresso.

 

Ou seja, serão divulgados indicadores sobre o desenvolvimento dos países, que não se concentram apenas na criação de riqueza, apresentando dados ambientais, sociais ou demográficos. A percentagem do território coberto por floresta convive com o número de mortos em conflitos armados, rácios bancários, evolução de migrações ou indicadores de corrupção. 

 

"Ao contrário do Pordata, em que publicamos tudo o que é produzido sobre Portugal, aqui tivemos de escolher indicadores. Para os escolher era preciso ter uma narrativa. Optou-se pelo crescimento sustentável", refere Nuno Garoupa. 

 

A Fundação admite num futuro próximo fazer alguns estudos sobre aquilo que esta nova base de dados nos consegue dizer de novo sobre Portugal que a informação anteriormente disponibilizada não permitia conhecer.

 

O portal lançado hoje é o resultado de uma parceria entre a FFMS e o European University Institute, tendo por base a investigação da primeira sobre governança mundial e a experiência da FFMS na criação de bases de dados online, que contribui também com o financiamento do projecto. 

 

A conferência de apresentação da GlobalStat contará com a intervenção do ministro Miguel Poiares Maduro. Amanhã, será a vez de Pedro Passos Coelho falar.

 

Nota: O jornalista viajou a convite da  Fundação Francisco Manuel dos Santos.

 

 




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub
pub
pub
pub