Saúde Nova tabela da ADSE alvo de providência cautelar

Nova tabela da ADSE alvo de providência cautelar

A Associação Portuguesa de Hospitalização Privada apresentou uma providência cautelar para impugnar a revisão da tabela de preços que foi aceite.
Nova tabela da ADSE alvo de providência cautelar
Bruno Colaço/Correio da Manhã
Negócios 27 de janeiro de 2018 às 17:36

A providência cautelar entregue pela Associação Portuguesa de Hospitalização Privada (APHP) para impugnar a revisão da tabela de preços da ADSE foi aceite, avança o Expresso este sábado, 27 de Janeiro.

Segundo a mesma publicação, o Tribunal Administrativo de Lisboa deu provimento à providência cautelar, na sexta-feira, e os responsáveis da ADSE têm agora dez dias para responder, fundamentando a revisão dos valores pagos aos prestadores privados. 

Em causa estão as novas tabelas que reduzem os preços a pagar pela ADSE aos prestadores privados de saúde, que o subsistema justifica com a necessidade de impor limites que até agora não existiam e de evitar um défice de tesouraria no próximo ano. O presidente da ADSE, Carlos Liberato Baptista, tem argumentado que as novas tabelas, que pretende colocar em prática a 1 de Março, ainda garantem margens generosas aos operadores privados.


Óscar Gaspar, presidente da APHP considera que os valores apresentados traduzem "uma política de cortes cegos" que, a avançar, ditará o fim deste subsistema. "Com estes preços baixos, as unidades vão desistir de trabalhar com a ADSE, que assim ficará equipada ao SNS até deixar de ter razão de existir", referiu, citado pelo Expresso.

O responsável já havia revelado que estas unidades de saúde estão a estudar uma forma de os beneficiários da ADSE continuarem a ter acesso aos serviços, nas mesmas condições, mas sem ser através do subsistema de saúde dos funcionários públicos.

"Estamos a procurar soluções que permitem que os beneficiários da ADSE continuem a poder ter acesso, nas mesmas condições, aos nossos hospitais", sublinhou, em entrevista à Lusa.

Ontem, o ministro da Saúde classificou a ideia do fim da ADSE de "disparate" e disse que a hipótese de os hospitais privados atenderem os beneficiários nas mesmas condições, mas fora da convenção não passa de uma "táctica negocial".


(Notícia actualizada às 17:51)




Saber mais e Alertas
pub