Segurança Social Novo apoio ainda só foi aprovado para 2.575 desempregados de longa duração

Novo apoio ainda só foi aprovado para 2.575 desempregados de longa duração

Depois de alguns atrasos no lançamento, a execução da medida de apoio aos desempregados de longa duração aprovada no último Orçamento do Estado está bem longe das 50 mil pessoas que se esperava que pudessem ser abrangidas.
Novo apoio ainda só foi aprovado para 2.575 desempregados de longa duração
Miguel Baltazar/Negócios
Catarina Almeida Pereira 26 de Outubro de 2016 às 16:35

Seis meses depois de ter sido lançada, a única medida do orçamento deste ano destinada a reforçar o apoio a desempregados de longa duração, que se estimou que pudesse abranger cerca de 50 mil pessoas, ainda só registou 2.575 aprovações por parte da Segurança Social. Os dados foram avançados pela secretária de Estado da Segurança Social, Cláudia Joaquim, no Parlamento, onde também revelou que o apoio médio é de 294 euros.

 

Em causa está a chamada "medida extraordinária de apoio aos desempregados de longa duração", destinada a pessoas integradas em famílias de baixos rendimentos que tenham perdido o subsídio social de desemprego há um ano.

 

A medida entrou em vigor em Abril, mas as estatísticas da Segurança Social têm sido omissas quanto à sua execução.

No início do Verão, a secretária de Estado da Segurança Social reconheceu no Parlamento um atraso que atribuiu às dificuldades informáticas de adaptação do sistema.

Esta quarta-feira, na audição sobre o Orçamento do Estado para o próximo ano, que estende a medida a 2017, Cláudia Joaquim revelou que foram identificados 15.811 "potenciais beneficiários" que poderiam cumprir as condições e a quem a Segurança Social enviou ofícios a explicar a situação.

 

Até Outubro deram entrada nos serviços da Segurança Social 4.890 requerimentos. Destes, 2.575 foram deferidos, ou seja, 53% do total; 46% foram recusados pela Segurança Social e os restantes estão em análise.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub
pub
pub
pub