Defesa Novo navio da Marinha britânica que custou 3.500 milhões de euros já mete água

Novo navio da Marinha britânica que custou 3.500 milhões de euros já mete água

A fuga foi detectada durante os ensaios da maior e mais cara embarcação militar britânica. O problema - com reparação já agendada - não compromete a continuidade dos testes do novo navio.
Novo navio da Marinha britânica que custou 3.500 milhões de euros já mete água
Reuters
Negócios 19 de dezembro de 2017 às 09:16
O HMS Queen Elizabeth, considerado o maior e mais caro navio construído para a Marinha do Reino Unido, inaugurado há duas semanas, já começou a apresentar problemas.

Segundo o Financial Times, a embarcação que custou 3.100 milhões de libras (3.500 milhões de euros à cotação actual), está a deixar entrar água. A existência de uma fissura severa na zona do eixo propulsor foi já admitida pelo Ministério da Defesa, que no entanto procurou minimizar a falha.

"[O problema] não impede o barco de navegar novamente e o programa de ensaios não será afectado", afirmou um porta-voz da Marinha, acrescentando que o defeito foi identificado durante os testes da embarcação no mar.

A embarcação já tem reparação agendada em Portsmouth, o porto onde teve o seu lançamento oficial.

O mesmo responsável garantiu que os contribuintes britânicos não terão de arcar com os custos da reparação, que deverão ficar a cargo do consórcio construtor liderado pela BAE.

"É normal que alguns trabalhos e a reparação de defeitos prossigam depois do navio ser entregue. (...) Isso estará resolvido antes que o navio recomece as suas missões no mar em 2018," garantiu fonte da BAE.

"Já estive em navios com fugas maiores", afirmou entretanto à Sky News o antigo almirante da Marinha, Chris Parry. Os 3.000 milhões de libras parecerão baratos quando o navio estiver operacional," acrescentou.

(notícia actualizada às 11:06 com mais informação)



A sua opinião5
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Ciifrão Há 2 semanas

Incrível como um barco pode custar tanto dinheiro, vale mais do que muitas empresas que empregam milhares de pessoas.

comentários mais recentes
Ciifrão Há 2 semanas

Incrível como um barco pode custar tanto dinheiro, vale mais do que muitas empresas que empregam milhares de pessoas.

ONDE ESTÁ A HABITUAL ARROGÂNCIA INGLESA ? Há 3 semanas

Alguém viu, por aí, a costumeira arrogância britânica de que são os melhores em tudo ?
Recordam-se, de quando foi o caso mal-cheiroso da Maddie, o enxovalho que a Scotland Yard passou à PJ nacional ?
Resolveram vir averiguar por eles próprios, não encontraram nada e saíram de rabo entre as pernas.

Anónimo Há 4 semanas

Há males que vem por bem, se mete água pode ser que sirva para apagar fogos, já que o Costa desviou o dinheiro para o combate a incêndios.

Anónimo Há 4 semanas

Teresa Maybe resolve...com uns fundos Europeus claro...

ver mais comentários
Saber mais e Alertas
pub