Economia O Cartão de Cidadão fez dez anos e o Governo fez-lhe uma festa

O Cartão de Cidadão fez dez anos e o Governo fez-lhe uma festa

António Costa renovou o seu cartão e apresentou o protótipo de uma nova máquina distribuidora, onde os cidadãos poderão levantar o cartão sem necessidade de se dirigir ao serviço para o pedir. Festa fez-se na Casa da Moeda, onde são produzidos os cartões.
O Cartão de Cidadão fez dez anos e o Governo fez-lhe uma festa
Miguel Baltazar/Negócios
Filomena Lança 07 de dezembro de 2017 às 18:50

Em dez anos foram produzidos 20.152.344 cartões, 1,5 milhões dos quais para entrega no próprio dia. Activos são, neste momento, 10.932.383 milhões. Destes, 204 pertencem a cidadãos com mais de 100 anos. Pouco mais de um milhão pertencem a crianças até aos dez anos.

 

O balanço vem do Ministério da Justiça, numa altura em que se assinalam os dez anos sobre o lançamento do Cartão de Cidadão. Esta quinta-feira, 7 de Dezembro, o Governo fez-lhe uma festa de aniversário onde, entre vários membros do Executivo, estiveram a ministra da Presidência e da Modernização Administrativa e o primeiro-ministro.

 

O cartão de identificação que substituiu o antigo Bilhete de identidade foi simbolicamente lançado na cidade da Horta, no Faial, onde nasceu Manuel de Arriaga, o primeiro português a ter um Bilhete de Identidade tirado em 1914, quando era Presidente da República. Na altura do lançamento, há 10 anos, o primeiro cartão foi entregue ao cidadão mais velho da ilha do Pico e à melhor aluna do 12.º ano, também aí residente. Esta fez agora um depoimento, gravado a partir de Madrid, onde reside, sobre a forma como o cartão mudou a sua vida.

 

Foi esse, aliás, o enfoque que o Governo quis dar ao tema nesta festa de aniversário. O Cartão de Cidadão junta vários documentos num só e tem funcionalidade que facilitam a vida a quem o usa. Anabela Pedroso, secretária de Estado da Justiça, lembrou como, quando avançaram, apenas três países "se tinham aventurado" e como, frisou, este foi "um projecto que marcou a inovação a nível mundial".

 

Maria Manuel Leitão Marques passou em revista os tempos do lançamento do cartão e alguns episódios como "a difícil reunião com as forças de segurança" em que "houve alguém que achou que a impressão digital era importante ficar à vista para que se pudesse comparar com a do portador do cartão".

Muitas questões, de segurança, mas não só, se levantaram na altura, com o novo documento a provocar muitas desconfianças. "Hoje ninguém tem medo que o Cartão de Cidadão seja o Big Brother. Tenho a certeza de que a Autoridade Tributária não está com uma lupa a ver os meus movimentos e que ninguém está a aceder aos meus dados médicos e que, quando vou a uma consulta no hospital, não estão aí a aceder aos meus dados no registo civil", diria depois António Costa. 

 

Numa das naves industriais da Imprensa Nacional Casa da Moeda, onde são produzidos os cartões, o primeiro-ministro testou publicamente o "Cartão de Cidadão automático". Basicamente trata-se de uma máquina, ainda em protótipo, que deverá ser instalada em locais públicos abertos 24 horas por dia e onde um cidadão poderá revalidar o seu cartão, entregando o antigo e recebendo um novo.

 

Para já, no entanto, é apenas isso, um protótipo, apesar de, para as câmaras, Costa ter simulado a validação, por mais dez anos, do seu Cartão de Cidadão. "Esta máquina envelhece-nos em poucos segundos. Estou muito mais novo no cartão que entreguei e muito mais velho no que saiu da máquina", brincou o primeiro-ministro.

 

"Hoje já podemos ter grande parte das funcionalidade do Cartão de cidadão no nosso telemóvel. Daqui a dez anos, não imaginamos onde poderão estar", rematou António Costa.




A sua opinião8
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo Há 3 dias

Que triste figura o "homem" anda mesmo a pedir internamento. O remorso das facadas nunca mais o larga. Não tem ao menos um familiar lhe dê apoio? Só querem "xuxar"?

Judas a cagar no deserto Há 3 dias

O palerma da foto é o antigo nº 2 do Sócrates, não é ?

O palerma da foto é o antigo nº 2 do Sócrates, não é ?

O palerma da foto é o antigo nº 2 do Sócrates, não é ?

O palerma da foto é o antigo nº 2 do Sócrates, não é ?

Marco Há 3 dias

Propaganda! Propaganda! Propaganda! Propaganda!
A jornalista transcreveu muito bem o comunicado do Ministério da Justiça e do Kosta.

MOSCA DA RTP1 em cima do Merdum Há 3 dias

O profeta kosta e a escola xucratica

ver mais comentários
pub