Política O comunicado do Presidente da República a 'segurar' o ministro das Finanças

O comunicado do Presidente da República a 'segurar' o ministro das Finanças

Leia o comunicado emitido pela Presidência da República após o encontro com Mário Centeno.
O comunicado do Presidente da República a 'segurar' o ministro das Finanças
Bruno Simão/Negócios
Negócios 14 de fevereiro de 2017 às 01:08
Presidente da República recebeu Ministro das Finanças


O Presidente da República recebeu, a pedido do Senhor Primeiro-ministro, o Senhor Ministro das Finanças que lhe deu conhecimento prévio da comunicação que iria fazer ao País.


O Presidente da República:


1.º – Registou as explicações dadas pelo Senhor Ministro das Finanças, bem como a decorrente disponibilidade para cessar as suas funções, manifestada ao Senhor Primeiro-ministro.


2.º – Tomou devida nota, em particular, da confirmação da posição do Governo quanto ao facto de a alteração do Estatuto do Gestor Público não revogar nem alterar o diploma de 1983, que impunha e impõe o dever de entrega de declarações de rendimento e património ao Tribunal Constitucional.

Posição essa, desde sempre, perfilhada pelo Presidente da República – aliás, como óbvio pressuposto do seu ato de promulgação – e expressamente acolhida pelo Tribunal Constitucional.


3.º – Reteve, ainda, a admissão, pelo Senhor Ministro das Finanças, de eventual erro de perceção mútuo na transmissão das suas posições.


4.º – Reafirmou que a interpretação autêntica das posições do Presidente da República só ao próprio compete.


5.º – Ouvido o Senhor Primeiro-ministro, que lhe comunicou manter a sua confiança no Senhor Professor Doutor Mário Centeno, aceitou tal posição, atendendo ao estrito interesse nacional, em termos de estabilidade financeira.


Palácio de Belém, 13 de fevereiro de 2017




A sua opinião4
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
FERNANDO RUI 14.02.2017

em base do já escrito digo.estes senhores da direita não conseguem ver nada a crescer para que todos se sintam mais confortáveis,não não conseguem pois foram eles o descalabro de toda a classe operária roubaram quanto quiseram,puseram os trabalhadores na ruina e olhem como se reaje quando alguém

Anónimo 14.02.2017

Um aldrabão será sempre aldrabão. Um mentiroso será sempre mentiroso. Um troca tintas será sempre um troca tintas. Ditados populares mas verdadeiros

Anónimo 14.02.2017

Se já tivemos un primeiro ministro, com nome de filósofo grego, que se formou ao Domingo, que mal é que há num ministro das finanças mentiroso , que anda a engonhar com a CGD há mais de um ano e se põe com um sorriso parvo ?

Pedro Silva 14.02.2017

Prá frente Mário Centeno. O que a direita queria era ver-te curvado diante do aleijado mental do Schäuble, que só gostava das vénias da Maria Luis Albuquerque. Portugal deve cumprir sempre, mas sem ser submisso a essa gente. Esta politica do Costa e Centeno vai calar muita gente na Europa.

pub