Política O comunicado do Presidente da República a 'segurar' o ministro das Finanças

O comunicado do Presidente da República a 'segurar' o ministro das Finanças

Leia o comunicado emitido pela Presidência da República após o encontro com Mário Centeno.
O comunicado do Presidente da República a 'segurar' o ministro das Finanças
Bruno Simão/Negócios
Negócios 14 de fevereiro de 2017 às 01:08
Presidente da República recebeu Ministro das Finanças


O Presidente da República recebeu, a pedido do Senhor Primeiro-ministro, o Senhor Ministro das Finanças que lhe deu conhecimento prévio da comunicação que iria fazer ao País.


O Presidente da República:


1.º – Registou as explicações dadas pelo Senhor Ministro das Finanças, bem como a decorrente disponibilidade para cessar as suas funções, manifestada ao Senhor Primeiro-ministro.


2.º – Tomou devida nota, em particular, da confirmação da posição do Governo quanto ao facto de a alteração do Estatuto do Gestor Público não revogar nem alterar o diploma de 1983, que impunha e impõe o dever de entrega de declarações de rendimento e património ao Tribunal Constitucional.

Posição essa, desde sempre, perfilhada pelo Presidente da República – aliás, como óbvio pressuposto do seu ato de promulgação – e expressamente acolhida pelo Tribunal Constitucional.


3.º – Reteve, ainda, a admissão, pelo Senhor Ministro das Finanças, de eventual erro de perceção mútuo na transmissão das suas posições.


4.º – Reafirmou que a interpretação autêntica das posições do Presidente da República só ao próprio compete.


5.º – Ouvido o Senhor Primeiro-ministro, que lhe comunicou manter a sua confiança no Senhor Professor Doutor Mário Centeno, aceitou tal posição, atendendo ao estrito interesse nacional, em termos de estabilidade financeira.


Palácio de Belém, 13 de fevereiro de 2017




A sua opinião4
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
FERNANDO RUI Há 2 semanas

em base do já escrito digo.estes senhores da direita não conseguem ver nada a crescer para que todos se sintam mais confortáveis,não não conseguem pois foram eles o descalabro de toda a classe operária roubaram quanto quiseram,puseram os trabalhadores na ruina e olhem como se reaje quando alguém

Anónimo Há 2 semanas

Um aldrabão será sempre aldrabão. Um mentiroso será sempre mentiroso. Um troca tintas será sempre um troca tintas. Ditados populares mas verdadeiros

Anónimo Há 2 semanas

Se já tivemos un primeiro ministro, com nome de filósofo grego, que se formou ao Domingo, que mal é que há num ministro das finanças mentiroso , que anda a engonhar com a CGD há mais de um ano e se põe com um sorriso parvo ?

Pedro Silva Há 2 semanas

Prá frente Mário Centeno. O que a direita queria era ver-te curvado diante do aleijado mental do Schäuble, que só gostava das vénias da Maria Luis Albuquerque. Portugal deve cumprir sempre, mas sem ser submisso a essa gente. Esta politica do Costa e Centeno vai calar muita gente na Europa.

pub