Negócios num minuto  O que pensar das previsões da Comissão Europeia?

O que pensar das previsões da Comissão Europeia?

Bruxelas apresentou as suas previsões para economia portuguesa, onde dá conta de uma melhoria da economia em 2017 alinhando previsões com Governo, mas antecipa um abrandamento no ano seguinte. Números deixam Portugal mais perto da saída do Procedimento dos Défices Excessivos. Rui Peres Jorge, jornalista do Negócios, explica.
A carregar o vídeo ...
Negócios 11 de maio de 2017 às 15:27



A sua opinião2
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo 13.05.2017

Hoje em dia a UE já faz transferências e concede ajudas e financiamentos aos Estados-membros menos ricos e desenvolvidos. No futuro, com uma UE federal com um orçamento maior e mais competências políticas a nível federal, mais direitos (como mais transferências para os Estados e economias que têm menos e mais e melhor cidadania europeia) implicarão ainda mais deveres (como reformas adequadas feitas na íntegra e de forma atempada) para cada Estado-Membro. Esses deveres, tantas vezes referidos por instituições como a Comissão Europeia, o FMI e a OCDE de forma quase informal e geralmente inconsequente, hoje em dia não são cumpridos. Com uma UE federal existirão meios e ferramentas para que as reformas, os deveres, avancem no seu tempo e Estados-Membros como Portugal e a Grécia não se desleixem e atrasem tanto por força dos seus políticos eleitoralistas mais irresponsáveis, dos seus sindicalistas chantagistas mais fundamentalistas e dos seus banqueiros criminosos mais extorsionários.

Conselheiro de Trump 11.05.2017

Pois Sr.jornalista,pois e, provavel/ a sua farramenta de trabalho e o computador,quando o Sr.vira costas ao trabalho,desliga-o,mas ha ainda 1 botao central q o faz desligar o seu e demais.A maquinazem que faz rodar a economia portuguesa tambem tem esse botao,mas o mal esta q ha 1 q da curtocircuito

pub
pub
pub
pub