Américas Obama: “Estamos todos na mesma equipa"

Obama: “Estamos todos na mesma equipa"

Sem esquecer o “orgulho” que sente por Hillary Clinton e apelando para que os mais jovens se envolvam na política, Barack Obama diz que é tempo de avançar na direcção escolhida pelos norte-americanos. "O importante é que avancemos com fé", resumiu.
Obama: “Estamos todos na mesma equipa"
Reuters
Wilson Ledo 09 de Novembro de 2016 às 18:06

O actual presidente dos Estados Unidos da América, Barack Obama, garantiu que procurará uma passagem de poder "bem-sucedida" para o sucessor Donald Trump apesar das suas "diferenças significativas" na linha política.

"Temos diferenças significativas. Mas recordem-se: há oito anos também eu e o presidente [George W.] Bush tínhamos diferenças significativas. Faremos os possíveis para que tenhamos uma transição de poder bem-sucedida para o presidente eleito", assegurou esta quarta-feira, 9 de Novembro, na Casa Branca.


Barack Obama confirmou que se irá reunir com Donald Trump já esta quinta-feira, 10 de Novembro, para arrancar com o processo de passagem de testemunho. O actual presidente lembrou que já teve oportunidade para felicitar o seu sucessor. "Todos temos de ser bem-sucedidos na liderança do país", lembrou, dizendo ter dado indicações à sua equipa para que mantenham as mangas arregaçadas daqui em diante.


"Temos de nos lembrar que estamos todos numa equipa. Não somos republicanos ou democratas em primeiro lugar. Somos todos americanos, queremos o melhor para este país. Foi o que ouvi no discurso de Donald Trump ontem à noite. É disso que a América precisa: de um sentimento de unidade, de inclusão, de respeito pelas instituições, por um modo de vida, pela lei e respeito mútuo", resumiu.

Nas palavras de Barack Obama esteve a candidata democrata Hillary Clinton, que o primeiro presidente afro-americano daquele país apoiou ao longo dos últimos meses, referindo o facto de Trump não ser a escolha apropriada para o cargo.


"Não podia ter mais orgulho nela. Tem tido uma fantástica vida de serviço público. A sua nomeação foi histórica e a sua mensagem também", elogiou Obama. E acrescentou: "acredito que Hillary Clinton continuará a fazer um trabalho extraordinário", elogiou.


Barack Obama dirigiu ainda parte do seu discurso aos jovens que agora se estrearam na política pedindo-lhes que "mantenham a coragem" mesmo que "estejam desiludidos" com os resultados do último sufrágio. "Vocês podem fazer a diferença", apelou deixando um exemplo na primeira pessoa: "eu também já perdi eleições".


"Se perdermos, aprendemos com os nossos erros. Procuramos tratar das feridas e voltamos. Esforçamo-nos ainda mais. O importante é que avancemos com fé", rematou Barack Obama com a convicção que deixa um país "melhor" do que aquele que encontrou há oito anos, quando assumiu funções.




A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Desanimado Há 17 horas

Preparem-se, o mundo vai ficar um sitio bem pior por duas razões. O presidente não manda nada, quem manda é o congresso, assim sendo o congresso só vai permitir as loucuras de Trump na medida em que tenha alguma coisa em troca consequentemente teremos a manutenção do status quo mais as loucuras de Trump.

pub
pub
pub
pub