Política Obama vs. Richard Branson: quem ganha?

Obama vs. Richard Branson: quem ganha?

O antigo presidente dos EUA e o fundador da Virgin enfrentaram-se num desafio durante as férias de Obama nas Ilhas Virgens. A contenda ficou registada em vídeo e fotografia, divulgados agora pela Virgin.
Jack Brockway/Virgin.com Jack Brockway/Virgin.com Jack Brockway/Virgin.com Jack Brockway/Virgin.com Jack Brockway/Virgin.com Jack Brockway/Virgin.com
Negócios 07 de fevereiro de 2017 às 19:09
Se em Washington os mares dos últimos tempos têm sido agitados - com a administração Trump a tomar forma e o cumprimento das suas primeiras promessas eleitorais a levantarem receios junto da comunidade internacional -, as ondas na ilha Moskito parecem ser bem menos problemáticas.

Foi ali, numa das Ilhas Virgens britânicas, que o antecessor de Donald Trump no cargo durante oito anos passou as últimas semanas. Barack Obama, que há menos de três semanas saiu da Casa Branca, escolheu aquele destino de férias pela mão de Richard Branson, o multimilionário dono do grupo Virgin, que convidou o antigo casal presidencial.

É Branson quem, na primeira pessoa, conta a experiência de Obama na ilha, onde nos últimos dias o ex-chefe de Estado aprendeu a praticar kitesurf. Mas o desafio não ficou por aí.

"Decidimos fazer um desafio amigável: poderia o Barack aprender kitesurf antes de eu aprender foilboard [modalidade praticada com uma prancha de surf modificada]? Concordámos em fazer uma batalha final para ver quem conseguia aguentar-se mais tempo," revela num relato publicado no site virgin.com.

Obama praticou durante dois dias "como se fosse outra vez uma criança" e, apesar da forte segurança à sua volta, conseguiu "relaxar" e aproveitar o momento. Branson, que já sabia kitesurf, foi lentamente aprendendo a lidar com o foilboard.

O embate entre ambos ficou registado em vídeo, com Obama e Branson a caírem por várias vezes da prancha. E foi só quando estavam taco-a-taco que o fundador da Virgin conseguiu aguentar em pé ao longo de 50 metros do percurso... para ver logo de seguida o ex-presidente dos EUA batê-lo pelo dobro da distância: 100 metros em kitesurf.

"Tive de lhe tirar o chapéu e celebrar a vitória dele," conta Branson. "Depois de tudo o que ele fez pelo mundo, eu não podia invejar a sua tão merecida vitória".

A carregar o vídeo ...



A sua opinião5
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo 08.02.2017

Diz-me com quem andas direi-te quem és. Julgo que este Branson é amigo dos "pais" da eventual desaparecida "Madie" que recusam o julgamento.

Anónimo 07.02.2017

A cobrar uns favorzitos, Obama, Yes We Can! Por isso é que o capital está lixado com o Trump, não o podem comprar!

Anónimo 07.02.2017

Não sei se trabalhou. Mas também não sei o contrário. O que sei é que, durante e após um período de nojo, todos os governantes, especialmente os mais importantes, devem abster-se deste tipo de atitudes. É que, não é só esta. Basta ver os jornais espanhóis e a seguir a esta já há outra. Claro que o homem merece férias. Só que tem dinheiro mais que suficiente para fazer o quer e que lhe apetece, mas à sua custa. Não é inveja. Está enganado. Acredito que pelo mundo fora verá comentários.

Juka49 07.02.2017

Mas que comentário mais infeliz. Há cada invejoso que faz raiva. Será que durante oito anos trabalhou para a Virgin?

ver mais comentários
pub
pub
pub
pub