Orçamento do Estado OE prevê mais reembolsos ao FMI este ano

OE prevê mais reembolsos ao FMI este ano

Na proposta do Orçamento do Estado o governo prevê que o valor dos reembolsos antecipados ao FMI seja de 8,37 mil milhões de euros este ano.
OE prevê mais reembolsos ao FMI este ano
Reuters
Rui Barroso 14 de outubro de 2017 às 00:16

Parte dos reembolsos antecipados que o Tesouro contava fazer ao FMI no próximo ano deverão ser ainda amortizados este ano, segundo a proposta do Orçamento do Estado. No documento, o governo indica que os reembolsos antecipados irão totalizar 8,37 mil milhões de euros este ano e aponta para uma emissão de Obrigações do Tesouro mais elevada que a meta que tinha vindo a ser indicada.

Esse montante excede em mais de três mil milhões de euros o valor pago até 10 de Outubro, segundo os dados mais recentes da agência de crédito público. Até essa data tinham sido feitos reembolsos antecipados de 5,3 mil milhões de euros e não havia a indicação de mais pagamentos este ano nas apresentações do IGCP a investidores.

Para o próximo ano, o governo planeia reembolsar antecipadamente mais 1,4 mil milhões de euros à instituição. "Espera-se ainda prosseguir o processo de pagamento parcial antecipado do empréstimo do FMI, antevendo-se uma amortização no valor de aproximadamente 1,4 mil milhões de euros". A indicação anterior dada pelo IGCP era de cinco mil milhões de euros em 2018. Grande parte desse valor deverá ser assim amortizada ainda este ano.

Estes reembolsos ocorrem após uma autorização dos parceiros europeus, em Junho, para Portugal continuar a amortizar antecipadamente o FMI até 10 mil milhões de euros num prazo de 30 meses. Nos meses de Verão foram devolvidos 3,6 mil milhões de euros.

No entanto, para compensar os maiores reembolsos ao FMI este ano, na proposta do Orçamento do Estado o valor previsto para as emissões brutas é de 16,9 mil milhões de euros em Obrigações do Tesouro. O valor indicado pelo IGCP este mês numa apresentação a investidores era de 15 mil milhões de euros. 




A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
General Ciresp Há 1 semana

Ja andava ha uns tempos a pensar como e q a gerigonca conseguia fazer das tripas coracao.Como e q o imposto das batatas fritas podia dar centenas de milhoes a saude,transportes,1 governo sedento,em suma a tudo q para ai geme na praca publica.Final/desbloquiem o pensamento:a casalinho,ela,sempre ela.

pub