Orçamento do Estado OE2018: Costa promete "progressos" mas sem "passos maiores do que a perna"

OE2018: Costa promete "progressos" mas sem "passos maiores do que a perna"

O primeiro-ministro afirmou que a proposta de Orçamento para 2018 será de "progresso sustentável" mas com gestão "prudente", recusando a ideia de "folga financeira" e a perspectiva de dar "passo maior do que a perna".
OE2018: Costa promete "progressos" mas sem "passos maiores do que a perna"
Miguel Baltazar/Negócios
Lusa 06 de setembro de 2017 às 21:19

António Costa falava aos jornalistas esta quarta-feira no final de uma reunião de cerca de três horas na Assembleia da República com dirigentes e coordenadores do Grupo Parlamentar do PS.

 

Interrogado sobre as pressões para que a proposta de Orçamento do próximo ano possa ir mais longe em matéria de aumento de rendimentos, em consequência do maior crescimento económico verificado este ano, o líder do executivo respondeu: "Não há folga".

 

"O maior crescimento económico significa o sucesso destas políticas - um sucesso que resultou de haver reposição de rendimentos, maior investimento e maior consolidação orçamental. Foi essa maior confiança no funcionamento da economia portuguesa, afastando-se o espectro dos diabos que alguns imaginaram, que também tem permitido um maior crescimento económico", reagiu o primeiro-ministro.

 

De acordo com António Costa, se a confiança fosse colocada em causa, "o crescimento poderia não ser este". "Por isso, temos de continuar este caminho com prudência, com rigor e com ambição, quer na elaboração quer na execução do Orçamento", frisou.

 

Em relação ao próximo Orçamento, António Costa disse que os principais objectivos são "uma maior justiça fiscal, através do aumento da progressividade nos escalões de IRS, e iniciar o descongelamento das carreiras".

 

"Temos vontade de reforçar o investimento na área da cultura, da educação, da saúde e da ciência. Portanto, é um Orçamento de progresso em 2018, mas terá de ser sempre um Orçamento de progresso sustentável, porque não podemos correr o risco de dar um passo maior do que a perna", frisou.

 

Perante os jornalistas, o primeiro-ministro caracterizou também a próxima proposta de Orçamento do Governo como sendo de "continuidade" face às anteriores. "Vamos prosseguir as principais linhas políticas: consolidação orçamental, apoio ao investimento e consolidação dos rendimentos", disse, antes de se recusar a identificar matérias já fechadas nas negociações com os parceiros de esquerda (PCP, Bloco de Esquerda e "Os Verdes".

 

"Haverá no próximo Orçamento avanços no aumento dos rendimentos das famílias, com melhoria das condições de investimento, quer público, quer privado, tendo em vista dar sustentabilidade ao crescimento económico e à criação de emprego. Em simultâneo, com prudência, com conta peso e medida, continuará esta trajectória essencial de consolidação e de cumprimento das metas orçamentais", insistiu.




A sua opinião4
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado oluapaxe Há 2 semanas

Ó costa visto que a geringonça é suportada por 3 pernas qual das pernas é a tua bitola? Olha que a perna do Gerónimo é maior que a tua e a perna da catarina é melhor que a tua. Dou-te um concelho escolhe a que tiver menos pelos!!! Mas como estamos no tempo novo em que os progressos civilizacionais é que mandam o melhor é escolheres a quinta perna do boi.

comentários mais recentes
Mr.Tuga Há 2 semanas

ANEDÓTICO este malabarista da "gestão prudente" !?!?!?!!?!?
Chamar "prudente" as reposições, reversões, aumentos salariais e progressões, aumento brutal do nº de FP, aumento da DIVIDA...
E com ajuda do BCE, taxas juro petróleo baratos e turismo a bombar....
Não consigo parar de RIR ?!!?

Nao se encolha Há 2 semanas

Se tiver Problemas com os outros partidos de esquerda, que não se encolha, é Garantida a Maioria Absoluta, não precisará deles, Os PSD vão votar maciçamente no Partido Socialista para não ter necessidade de se curvar nos outros Partidos.

oluapaxe Há 2 semanas

Ó costa visto que a geringonça é suportada por 3 pernas qual das pernas é a tua bitola? Olha que a perna do Gerónimo é maior que a tua e a perna da catarina é melhor que a tua. Dou-te um concelho escolhe a que tiver menos pelos!!! Mas como estamos no tempo novo em que os progressos civilizacionais é que mandam o melhor é escolheres a quinta perna do boi.

General Ciresp Há 2 semanas

Pois e d.branca,pois e,Pior que a passada ser maior q a perna e as pernas serem demais.Mete a faca bem a fundo na gamela q ninguem vai gritar por isso,estou certo.18 cromos expostos hoje por este jornal(tambem foi de curta duracao)e mais 50 cromos da divisao inferior e um abuso sem escrupulos.Modera

pub
pub
pub
pub