Finanças Públicas OE 2017: Governo compromete-se com cortes de 1.100 milhões
Assinatura Digital. Negócios Primeiro Para ler tudo faça LOGIN ou ASSINE

OE 2017: Governo compromete-se com cortes de 1.100 milhões

O défice orçamental de 2017 ficará próximo, mas abaixo de 2% do PIB, anunciou o secretário de Estado das Finanças. Isso coincide com um ajustamento estrutural de 0,6 pontos percentuais: mais de mil milhões de euros de austeridade.
OE 2017: Governo compromete-se com cortes de 1.100 milhões
Bruno Simão/Negócios
Nuno Aguiar 07 de Outubro de 2016 às 00:01

O Orçamento do Estado para 2017 terá medidas de aumento da receita e diminuição da despesa que permitirão uma consolidação orçamental de 1,1 mil milhões de euros. Quem o assumiu foi o secretá

Assinatura Digital. Negócios Primeiro
Para ler tudo faça LOGIN ou ASSINE
Análise, informação independente e rigorosa.
Para saber o que se passa em Portugal e no mundo,
nas empresas, nos mercados e na economia.
  • Inclui acesso ao ePaper, a versão do Negócios tal como é impresso em papel. Veja aqui.
  • Acesso ilimitado a todo o site negocios.pt
  • Acesso ilimitado via apps iPad, iPhone, Android e Windows
Saiba mais



A sua opinião34
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado AVerVamos 07.10.2016

Se o governo garante, então está garantido!!
Há uma coisa que me faz uma enorme confusão à minha mente. Os gastos aumentaram no 2º semestre 2016, e espera-se que aumentem em 2017. Os sinais que a economia apresenta são próprios de um cadáver. Onde diabo (o tal) espera este governo ir buscar o dinheiro?? Ou será que vem de onde todos esperam que venha? Dos impostos e através da contração de mais divida?
Ou seja há aqui um milagre económico e financeiro anunciado por estes profetas que contraria tudo o que se observa.
A geringonça deve querer renovar as disciplinas matemáticas mais elementares.

comentários mais recentes
Anónimo 07.10.2016

Pronto a geringonça começou a por as culpas todas em cima do Passos Coelho, os incompetentes colocam sempre a culpa em alguém nunca neles próprios. Vão se phoder incompetentes da Meerda!

Mario 07.10.2016

Vai levar muitos anos a reparar os estragos que o governo do Passos Coelho fez. Uma vez que não é possível aumentar os miseráveis salários, para ter um défice como exigido pelos credores, têm de se criar impostos. Mas desta vez pagam os ' papás nos popós de luxo'

Gajo do povo bimbo e saloio 07.10.2016

Se for austeridade de esquerda está tudo bem!

AMLG 07.10.2016

Quer dizer que o PS BE PCP vão agravar ainda mais AUSTERIDADE que iniciaram este ano e continuam a aumentar ainda mais os impostos?! Notável! Como se isso não fosse suficiente, vão cortar despesa, isto é, piorar os serviços que prestam aos portugueses no que toca à Saúde, à Educação e à Justiça. Quando precisávamos era de crescer, como já estava a acontecer antes desta cambada de incompetentes assaltar o poder, não crescemos nada e continuamos a desperdiçar tempos a a ficarmos ainda mais Pobres. Infelizmente aos poucos, os portugueses estão a abrir o olho e aperceber que esta cambada de salteadores é a mesmíssima que com o Sócrates e que portanto e resultado também não podia ser diferente (aliás, a maioria dos ministros e secretários de estado até são os mesmo - Pobres de nós que não aprendemos).

ver mais comentários
Notícias só para Assinantes
Exclusivos, análise, informação independente e credível. Para saber o que se passa em Portugal e no mundo, nas empresas, nos mercados e na economia. Inclui acesso à versão ePaper.
Mais uma forma de ler as histórias
da edição impressa do Negócios.
Se ainda não é Assinante Saiba mais
pub
pub
pub
pub