Orçamento do Estado OE: Necessidades líquidas de financiamento estimadas em 9,5 mil milhões de euros

OE: Necessidades líquidas de financiamento estimadas em 9,5 mil milhões de euros

O Governo prevê que as necessidades líquidas de financiamento se situem em 9,5 mil milhões de euros. As obrigações do Tesouro serão a principal fonte de financiamento.
OE: Necessidades líquidas de financiamento estimadas em 9,5 mil milhões de euros
Bruno Simão
Rui Barroso 14 de Outubro de 2016 às 21:20

O Estado terá necessidades líquidas de financiamento de 9,5 mil milhões de euros no próximo ano, segundo as previsões da proposta de Orçamento do Estado. O montante é inferior ao previsto para este ano, em que a diferença entre as emissões de dívida e as amortizações se situa em 12,8 mil milhões de euros. No entanto, o Governo conta menos com o retalho e mais com os mercados para obter o valor necessário.

A esmagadora maioria do financiamento líquido pretendido deverá ser obtida através de obrigações do Tesouro (OT). "Em 2017, a principal fonte de financiamento líquido deverá novamente concentrar-se na emissão de dívida de médio e longo prazo em mercado, antecipando-se um contributo positivo de OT de cerca de 8,7 mil milhões de euros (com as emissões brutas a ascenderem a 15,9 mil milhões, excluindo eventuais operações de troca)", refere a proposta de Orçamento do Estado para 2017.

O valor líquido a emitir fica acima dos 7,24 mil milhões de euros previstos para este ano. No entanto, o recurso ao retalho irá diminuir em 2017. Este ano o Governo conta obter, em termos líquidos, 3,5 mil milhões de euros em certificados de aforro e em certificados do tesouro poupança mais.

No entanto, para o próximo ano a estimativa das emissões líquidas destes produtos baixa para mil milhões de euros. "Prevê-se que os CA [Certificados de Aforro] e CT [Certificados do Tesouro] mantenham o contributo positivo, ainda que inferior ao observado nos últimos anos", refere o documento divulgado esta sexta-feira pelo Governo. Na proposta, não é isolado o valor a emitir em obrigações do tesouro de rendimento variável (OTRV), o novo produto de poupança dos Estado. 




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub
pub
pub
pub