Orçamento do Estado OE prevê subida do petróleo, estabilização do euro e Euribor mais negativa

OE prevê subida do petróleo, estabilização do euro e Euribor mais negativa

A proposta do Orçamento do Estado para 2017 estima uma valorização dos preços do petróleo, ao mesmo tempo que a moeda única deverá rondar os mesmos valores atingidos este ano. Já a Euribor deverá ficar ainda mais negativa.
OE prevê subida do petróleo, estabilização do euro e Euribor mais negativa
Bloomberg
Raquel Godinho 14 de Outubro de 2016 às 21:01

As principais hipóteses do enquadramento internacional que constam da proposta do Orçamento do Estado para 2017 assumem que os preços do petróleo avancem face aos valores registados este ano. Já o euro deverá manter-se estável, enquanto a Euribor, indexante utilizado no crédito à habitação, deverá ficar ainda mais negativa, revela o documento conhecido esta sexta-feira, 14 de Outubro.


"A estimativa para o preço do petróleo, com base em informação dos mercados de futuros, aponta para uma aceleração do preço desta matéria-prima em dólares e em euros. A taxa de juro de curto prazo deverá permanecer baixa, enquanto se assume a hipótese técnica de estabilização da taxa de câmbio face à estimativa para 2016", revela a proposta do Orçamento do Estado para o próximo ano.


Neste documento, estima-se que o preço médio do barril de Brent no próximo ano atinja os 51,3 dólares. Um valor que supera os 44,4 dólares que a matéria-prima deverá atingir, em média, este ano. Esta sexta-feira, o petróleo negociado em Londres ronda precisamente os 51 dólares por barril, depois de uma subida de 39% acumulada desde o início do ano.


No mercado cambial, as previsões do Orçamento do Estado apontam para que o euro se situe nos 1,12 dólares, em média, no próximo ano, em linha com o valor registado este ano. A moeda única sobe pouco mais de 1%, em 2016, e negoceia esta sexta-feira em torno dos 1,10 dólares.


Quanto à Euribor a três meses, que está em valores negativos desde Abril do ano passado, a proposta do Orçamento do Estado antecipa um valor ainda mais negativo em 2017. A taxa interbancária, que esta sexta-feira atingiu um mínimo histórico nos -0,311%, é prevista atingir os -0,4%, em 2017.




A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Reggie Há 1 semana

If my problem was a Death Star, this article is a photon todpero.

pub
pub
pub
pub