Economia ONU aprova tratado que proíbe armas nucleares com oposição das três maiores potências

ONU aprova tratado que proíbe armas nucleares com oposição das três maiores potências

Os Estados Unidos, Reino Unido e a França rejeitaram categoricamente a possibilidade de se juntarem posteriormente aos signatários do acordo.
ONU aprova tratado que proíbe armas nucleares com oposição das três maiores potências
Bloomberg
Lusa 07 de julho de 2017 às 21:11

Os Estados Unidos, a França e o Reino Unido rejeitaram um tratado aprovado esta sexta-feira nas Nações Unidas que proíbe as armas nucleares. Este tratado, advertem, "despreza claramente a realidade do ambiente da segurança internacional".

 

As três potências, que têm armas nucleares, avisam, num comunicado conjunto, que "não têm qualquer intenção de se juntarem aos países signatários deste tratado".

 

O tratado foi aprovado esta sexta-feira por 122 votos a favor e um contra (da Holanda, que é membro da NATO), tendo havido uma abstenção.

 

Os negociadores do tratado consideram que a sua aprovação constitui "uma conquista histórica", tendo havido aplausos no final da votação.

 

A votação favorável do tratado põe termo a três semanas de negociações em que participaram 141 países, apoiantes, caso da Áustria, Brasil, México, África do Sul e da Nova Zelândia.

 

Os Estados Unidos, Reino Unido e a França rejeitaram categoricamente a possibilidade de se juntarem posteriormente aos signatários do acordo. Estes três países acreditam que o tratado não terá impacto na redução do stock global de armas nucleares que se estimam em 15.000.

 

O tratado será ratificado a partir de 20 de Setembro deste ano e entrará em vigor logo seja assinado por 50 países.

 

Nenhum dos nove países que têm armas nucleares (Estados Unidos, Rússia, Reino Unido, China, França, Índia, Paquistão, Coreia do Norte, Coreia do Sul e Israel) se manifestou favorável à aprovação deste tratado.

 




A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
hummm 07.07.2017

Este tratado é um incentivo à produção de armas nucleares por parte dos que as querem produzir...

pub