Justiça Operação Marquês: PGR confirma maratona de interrogatórios até final da próxima semana

Operação Marquês: PGR confirma maratona de interrogatórios até final da próxima semana

A Procuradoria-Geral da República (PGR) confirmou este sábado, 11 de Março, que o ex-primeiro-ministro José Sócrates será interrogado na segunda-feira à tarde no âmbito do inquérito "Operação Marquês" e que o empresário Carlos Santos Silva foi inquirido na sexta-feira.
Operação Marquês: PGR confirma maratona de interrogatórios até final da próxima semana
Lusa 11 de março de 2017 às 15:57

"Estão, ainda, previstos interrogatórios de outros arguidos no decurso da próxima semana", adianta a PGR, num esclarecimento enviado à agência Lusa. Antes, fonte ligada ao processo dissera à Lusa que o antigo líder do PS José Sócrates, arguido no inquérito "Operação Marquês", vai ser interrogado na segunda-feira à tarde no Departamento Central de Investigação e Acção Penal (DCIAP).

 

A informação de que Sócrates vai ser interrogado novamente, na segunda-feira, no âmbito da "Operação Marquês" foi avançada hoje pela SIC, depois de o jornal Expresso noticiar que o Ministério Público (MP) conta ainda interrogar o ex-primeiro-ministro uma terceira e última vez para o confrontar com novos elementos do processo e antes de deduzir acusação contra ele por corrupção e outros crimes no prazo anunciado pela Procuradoria-Geral da República (17 de Março).

 

Contactado pela agência Lusa, João Araújo, advogado de José Sócrates juntamente com Pedro Delille, precisou que a defesa foi notificada pelo MP para comparecer no interrogatório de segunda-feira no DCIAP, tendo o MP pedido aos advogados que notificassem o próprio ex-primeiro-ministro da diligência marcada.

Sócrates está indiciado pelos crimes de corrupção, fraude fiscal e branqueamento de capitais, numa investigação que conta, até ao momento, com 25 arguidos - 19 pessoas e seis empresas, quatro das quais do Grupo Lena - estando a decisão do Ministério Público de acusar ou arquivar o processo marcada para a próxima sexta-feira.

 

Entre os arguidos estão o ex-administrador da Caixa Geral de Depósitos e antigo ministro socialista Armando Vara, Carlos Santos Silva, empresário e amigo do ex-primeiro-ministro, Joaquim Barroca, empresário do grupo Lena, João Perna, antigo motorista do ex-líder do PS, Paulo Lalanda de Castro, do grupo Octapharma, Henrique Granadeiro e Zeinal Bava, ex-administradores da PT, o advogado Gonçalo Trindade Ferreira e os empresários Diogo Gaspar Ferreira e Rui Mão de Ferro e o empresário luso-angolano Hélder Bataglia.


A sua opinião4
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo 21.03.2017

O aldrabão menos-que-zero paga uma fortuna em advogados com o dinheiro desviado via transferências.

Indiano Costa 14.03.2017

Em que estado vai a justiça. Ao fim de tanto tempo, ainda é preciso uma maratona de interrogatórios para formar acusação. Esta na hora de se tornar a justiça mais célere e eficaz. Por este andar, quando este pulha for julgado, já morreu de velho

pertinaz 12.03.2017

PUNHO DE FERRO NA MALANDRAGEM !!!

pertinaz 11.03.2017

ESTE ESTUPOR ATÉ PELA NACIONALIZAÇÃO DO BPN DEVE TER RECEBIDO DINHEIRO ...!!!

pub
pub
pub
pub