Justiça Operação Marquês pode dar origem a 15 novas investigações

Operação Marquês pode dar origem a 15 novas investigações

O inquérito da Operação Marquês pode dar origem a 15 novos processos de outros âmbitos, revela o comunicado do Ministério Público, que mostra que os investigadores tiveram acesso a um vasto conjunto de informação.
Operação Marquês pode dar origem a 15 novas investigações
Miguel Baltazar
Marta Moitinho Oliveira 11 de outubro de 2017 às 12:31

O processo de acusação da Operação Marquês pode dar origem a 15 novas investigações, de acordo com o comunicado divulgado esta quarta-feira pelo Ministério Público, onde o ex-primeiro-ministro José Sócrates é acusado de 31 crimes.

"No total, o Ministério Público decidiu extrair 15 certidões, para posterior investigação em processo autónomo." A Procuradoria-Geral da República sinaliza que uma das certidões estará relacionada com o ex-presidente da Octapharma. "O Ministério Público, do Departamento Central de Investigação e Acção Penal, proferiu nove despachos de arquivamento, nomeadamente em relação ao arguidos João Abrantes Serra, Joaquim Paulo da Conceição e Paulo Lalanda e Castro. Todavia, no que a este último diz respeito foi extraída uma certidão para investigação de factos relativos a sociedades que controlava." 

Isto significa que no âmbito das investigações da Operação Marquês, os investigadores tiveram conhecimento de factos ou de pistas que os levaram a desencadear outras investigações.


No comunicado, o Ministério público revela que teve acesso a bastante informação no âmbito das investigações da Operação Marquês.


"O despacho final [de acusação] tem mais de 4 mil páginas. Ao longo do inquérito foram efectuadas cerca de duas centenas de buscas, inquiridas mais de 200 testemunhas e recolhidos dados bancários sobre cerca de 500 contas, quer domiciliadas em Portugal quer no Estrangeiro. Foi igualmente recolhida vasta documentação quer em suporte de papel, quer digital."

Ministério Público informou esta manhã que, no âmbito da Operação Marquês, deduziu 28 acusações; concretamente contra 19 pessoas singulares e 9 pessoas colectivas. José Sócrates, antigo primeiro-ministro, e Ricardo Salgado, ex-presidente do BES, estão entre os acusados.




pub