Justiça Operação "Punho Cerrado" já fez mais de dez detidos

Operação "Punho Cerrado" já fez mais de dez detidos

A acção está a ser desenvolvida em quatro distritos. A investigação decorria há cerca de dois anos e centrou-se nos crimes de associação criminosa, económico-financeiros e exercício ilegal de segurança privada.
Operação "Punho Cerrado" já fez mais de dez detidos
Miguel Baltazar/Negócios
Negócios 27 de Dezembro de 2016 às 15:29
A operação 'Punho Cerrado' que está a decorrer nos distritos de Leiria, Lisboa, Coimbra e Santarém já levou à detenção de mais de dez pessoas e envolve 260 operacionais, informou fonte da PSP de Leiria.

Segundo o comissário Bruno Soares, a ação policial liderada pelo Comando Distrital da PSP de Leiria deteve dez pessoas dando cumprimento aos mandados de detenção fora do flagrante delito, tendo ainda sido detidas "mais algumas pessoas na sequência das buscas realizadas" desde as 07:00.

"Ainda não é possível adiantar o número total de detidos", nem os locais onde ocorreram e "durante a operação foi também apreendido diverso material relacionado com os crimes que estão em investigação", acrescentou Bruno Soares.

O comissário da PSP de Leiria informou que a operação empenhou "cerca de 260 elementos" policiais, "a maioria da estrutura de investigação criminal da PSP de Leiria" e teve o apoio da Unidade Especial de Polícia, do Grupo de Operações Especiais e do Grupo de Intervenção e do Grupo Operacional Cinotécnico. Teve também a colaboração dos elementos de segurança privada e da secção digital forense da PSP.

Bruno Soares referiu ainda que a investigação incide, sobretudo, em elementos ligados à segurança privada de estabelecimentos de diversão nocturna.

"Os detidos deverão ser presentes a tribunal apenas amanhã [quarta-feira]", acrescentou.

Em nota de imprensa, a PSP informa que desde as 07:00 de hoje está a decorrer a operação 'Punho Cerrado', com cerca de 50 buscas domiciliárias e dez mandados de detenção fora de flagrante delito a nível nacional.

A acção está a ser desenvolvida em quatro distritos, com a PSP a indicar que estão a ser executadas, também, cerca de 20 buscas não domiciliárias a empresas e estabelecimentos de restauração e bebidas.

Segundo a PSP, a investigação, que decorria há cerca de dois anos, centrou-se no crime de associação criminosa, em crimes económico-financeiros e no exercício ilegal da actividade de segurança privada, entre outros.

Ainda não há previsão para o final da operação, estimando-se que ao final do dia de hoje seja possível fazer um balanço provisório da acção, referiu Bruno Soares.



A sua opinião2
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
EUROPEU Há 3 semanas

O nome da operação foi muito bem colocado.
E foi escolhido por quem sabe do assunto ( vigarices, subornos,etc)

Anónimo Há 3 semanas

Portugal nao tem cadeias suficientes para tanto punho fechado.O ponto de encontro desta gente e no largo do rato.Nao conheco a rua,nem tenho necessidade disso,mas nao me pasma nada se ha entrada tiver um toco de vassoura,uma rudilha com um punho la estampado.A caca perde pela tardia,mas quem sabe.

pub
pub
pub
pub