Saúde Ordem dos Enfermeiros denuncia caos nos hospitais e apela à tutela que "tome uma atitude"

Ordem dos Enfermeiros denuncia caos nos hospitais e apela à tutela que "tome uma atitude"

A bastonária da Ordem dos Enfermeiros, Ana Rita Cavaco, denunciou hoje, em declarações à Lusa, "o caos instalado na maior parte das urgências do país" e apelou ao Ministério da Saúde que "tome uma atitude".
Ordem dos Enfermeiros denuncia caos nos hospitais e apela à tutela que "tome uma atitude"
Filipa Couto/Correio da Manhã
Lusa 30 de dezembro de 2017 às 22:16

"O que se está a passar é aquilo que nós já tínhamos antecipado quase há dois meses, quando denunciámos que o Ministério das Finanças não tinha autorizado pela primeira vez - nunca aconteceu isto em nenhum ano, não autorizar - a contratação dos enfermeiros necessários para o período de contingência da gripe", começou por dizer a bastonária da Ordem dos Enfermeiros.

 

"Portanto, sem profissionais e com novos serviços - ditos serviços para gripe que são abertos nesta altura -, os doentes acumulam-se, os tempos de espera aumentam e está o caos instalado na maior parte das urgências do país", apontou Ana Rita Cavaco.

 

Questionada pela agência Lusa sobre quais são os hospitais mais críticos, Ana Rita Cavaco deu o exemplo de Faro, onde esteve o presidente da secção regional do Sul da Ordem, "porque inclusive um enfermeiro da triagem foi ameaçado, as pessoas não compreendem, estão desesperadas".

 

Ou seja, está-se "a falar de tempos de espera superiores a 20 horas, isto para os menos urgentes, porque para os laranjas que são os muito urgentes", os tempos de espera são "de seis horas", o que "é inadmissível", continuou Ana Rita Cavaco.

 

Também os Hospitais da Universidade de Coimbra estão a ser afetados, segundo a bastonária, que apontou que no serviço de urgência os doentes estão "todos misturados, doentes com meningite, doentes com outras infeções, não há controlo de infeção".

 

Neste hospital "estavam mais de 170 pessoas na urgência, mais 30 à espera de ser triadas", disse.

 

No caso do hospital de Leiria, foram retirados "enfermeiros dos cuidados intensivos, deixando esses doentes em insegurança para pôr os enfermeiros nas urgências porque não têm", denunciou.

 

"Portanto, apelamos aos conselhos de administração que vos digam a verdade, das dificuldades que estão a ter, e ao ministério da Saúde que tome uma atitude. O senhor ministro tem que se responsabilizar por este caos que já se esperava no pico da gripe e ainda agora começou, porque vai piorar", salientou a representante dos enfermeiros.

 

Questionada sobre se a Ordem tentou falar com o ministro da Saúde, Adalberto Campos Fernandes, Ana Rita Cavaco afirmou: "Nós não conseguimos falar com o senhor ministro da Saúde desde julho, é uma pena, mas de facto não há da parte dele disponibilidade para falar com os representantes do maior grupo profissional da saúde".

 

Apesar disso, acrescentou, a Ordem dos Enfermeiros tem alertado "para o que se está a passar no terreno e para a falta de condições dos enfermeiros poderem trabalhar"

"Neste momento não têm condições nenhumas para trabalhar", garantiu, apelando ainda aos media para que se visitem os hospitais para constatar no terreno o que se está a passar.




A sua opinião20
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
comentar
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
mais votado Anónimo 31.12.2017

Reformas viradas para as reais condições de mercado que se fazem nas regiões mais desenvolvidas do mundo e a importância das mesmas para a prosperidade e o bem-estar das populações:
"HMRC staff braced for thousands of job cuts as 137 tax offices to close" https://www.theguardian.com/politics/2015/nov/12/hmrc-staff-braced-for-thousands-of-job-cuts-if-tax-offices-close
"IRS will cut 7,000 jobs because the majority of people are filing their tax returns online" http://www.dailymail.co.uk/news/article-3811646/IRS-cutting-7-000-jobs-vast-majority-people-file-tax-returns-online-meaning-fewer-people-needed-process-paper-forms.html
"Inland Revenue to cut 1500 jobs between 2018 and 2021" www.stuff.co.nz/business/industries/78231571/inland-revenue-to-cut-1500-jobs-between-2018-and-2021
"Australian Taxation Office axes 4400 jobs in 19 months" http://www.canberratimes.com.au/national/public-service/australian-taxation-office-axes-4400-jobs-in-19-months-20150409-1mhhgq.html

comentários mais recentes
A geringonça foi uma dádiva de Deus.Sorte do Povo 01.01.2018


A direitalha tenta tudo para destruir o País,mas o povo tem sentido na pele a roubalheira da direi-talha,o povo foi sábio votou para correr com os ladrões,mas tenta levantar a cabeça com insultos e truques ,viva a Geringonça são sérios.

Anónimo 31.12.2017

No Reino Unido, após o início das necessárias e muito acertadas reestruturações, existiam em 2016 menos 6100 administrativos e mais 30000 colaboradores clínicos do que em 2010. E asseguro que o número de 6100 já cresceu entretanto... "A Department of Health spokesman said: “We expect all parts of the NHS to have safe staffing levels – making sure they have the right staff, in the right place, at the right time.” He said the NHS now employed 6,100 fewer managers and almost 30,000 more clinical staff than in 2010." https://www.theguardian.com/society/2016/jan/29/hospitals-told-cut-staff-nhs-cash-crisis

pertinaz 31.12.2017

A ESCUMALHA DE ESQUERDA QUE NOS DESGOVERNA ESTÁ A DESTRUIR O SNS...!!!

Anónimo 31.12.2017

Temos que atuar como a padeira de Aljubarrota em todos os hospitais senão nada mudará.Tantas manifestações organizadas e neste momento critico organ e sindicatos esta conivenytes e mudos encham as ruas são vidas em causa.A cobardia tem limites,revolta precisa-se.

ver mais comentários
pub