Mercados Os principais desafios de Jay Powell

Os principais desafios de Jay Powell

Jerome Powell, novo presidente da Fed a partir de hoje, tem vários desafios pela frente nos próximos quatro anos. Há que manter a economia na via da expansão e seguir a trajectória de subida gradual dos juros.
Os principais desafios de Jay Powell
Reuters
Carla Pedro 03 de fevereiro de 2018 às 10:05

Manter o bom rumo da economia


O The Wall Street Journal recorda que Yellen conseguiu acabar com a política de juros em mínimos históricos e começar a reduzir a carteira de dívida detida pela Fed. Além disso, durante o seu reinado,  a taxa de desemprego caiu para 4,1%, o mais baixo nível desde 2000. Tudo isto, segundo aquele jornal, deixa um grande desafio ao seu sucessor: manter a economia dos EUA no mesmo rumo de crescimento. O PIB, recorde-se. cresceu a um ritmo anualizado de 2,6% nos últimos três meses de 2017.

 

Subida gradual dos juros

Powell foi um nome que não provocou instabilidade nos mercados, já que se espera que mantenha a mesma linha de Yellen em matéria de subida gradual dos juros directores. No passado dia 31 de Janeiro, a Fed deixou inalterada a taxa dos fundos federais, entre 1,25% e 1,5%, tal como se esperava. Mas sinalizou a expectativa de uma subida da inflação ao longo do ano, até à sua meta de 2%, e ez saber que planeia novas subidas dos juros, abrindo caminho para que o próximo aumento da taxa directora possa ocorrer já em Março. Para 2018 estão apontadas três novas subidas na taxa de juro de referência da Fed.

 

Atenção à liquidez

Liquidez, como disse o economista Henry Kaufman, costumava significar dinheiro na mão. Agora é sinónimo de acesso ao crédito. E os bancos centrais, Fed incluída, não querem ser responsáveis por um sobreaquecimento global. O desafio é encontrar um meio termo enquanto se retiram os estímulos à economía, de modo a que não haja "acidentes" nem necessidade de resgates à medida que o dinheiro disponível for diminuindo.






A sua opinião2
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
comentar
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentários mais recentes
Anónimo 04.02.2018

Nunca havera` problemas; caso haja podera` contar com licoes d a administracao geringonca de Portugal, e do seu centeno.

General Ciresp 03.02.2018

Sendo Trump um homem imprevisivel e q mete o nariz em tudo dentro do pais,vai ser expectante ver para q lado ele vai inclinar.Como toda a gente sabe ele e homem de negocios.Tambem ja vimos q ele e patriota ao ponto de manda carregar nos impostos sobre produtos importados.Para ele so conta a America.

Saber mais e Alertas
pub