Orçamento do Estado Pacote dos incêndios agrava défice em 230 milhões

Pacote dos incêndios agrava défice em 230 milhões

O conjunto de medidas de reforma da floresta, prevenção e reconstrução vai custar mais de 650 milhões de euros, mas o impacto no défice será menor. Os números foram avançados por Mário Centeno.
A carregar o vídeo ...
O pacote de medidas que o Governo vai incluir no Orçamento do Estado para 2018 de resposta aos incêndios deste Verão vai custar mais de 650 milhões de euros, mas o impacto no défice será "na ordem dos 230 milhões de euros", disse esta sexta-feira o ministro das Finanças.

Mário Centeno falava no Parlamento durante o debate do Orçamento do Estado para 2018, no dia em que termina o prazo de entrega das propostas de alteração ao documento. 

O governante explicou que os números avançados são provisórios, já que as propostas em causa serão apresentadas à tarde. As propostas deverão ser entregues através do PS, já que nesta fase só os partidos têm a possibilidade de entregar alterações ao Orçamento do Estado. 
 
Uma "parte significativa" dos mais de 650 milhões será para a "reconstrução" de habitação e também de actividade económica, explicou Centeno. No início da semana António Costa, primeiro ministro, já tinha estimado uma despesa total de 670 milhões de euros.

O ministro acrescentou também que as medidas referentes à prevenção e combate aos incêndios "terão origem no Orçamento do Estado, com impacto no défice". Mas não só. Haverá também fundos comunitários para financiar estas despesas o que permite reduzir o impacto total nas contas públicas, e serão usadas linhas de crédito bonificadas que têm também um impacto limitado no défice.  

"O impacto global das medidas [no défice] será na ordem dos 230 milhões de euros", disse o ministro das Finanças.    

O ministro acrescentou que "adicionalmente e face ao que estava previsto há um conjunto de medidas que decorrem do Conselho de Ministros de 21 de Outubro que ultrapassa 300 milhões de euros". 

O governante dividiu as medidas em quatro áreas: Recuperação social e económica, de habitações e empresas; prevenção de incêncios combate, e ainda o reforço da capacidade institucional do sistema.



A sua opinião2
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo Há 3 semanas

Comberchas, comberchas comberchas...é tudo comberchas e nada mais!...Os galegos há muito que meteram mãos à obra e estão a resolver o problema. Por cá, com a tralha que entrou em São Bento pela porta do cavalo, prometem-se medidas e mais medidas, mas quem tudo perdeu continua à espera.

pertinaz Há 3 semanas

ISSO É TUDO MENTIRA

O DESGOVERNO NÃO VAI FAZER NADA...!!!

pub