Emprego Pão pode ficar mais caro com aumento do salário mínimo, avisa associação

Pão pode ficar mais caro com aumento do salário mínimo, avisa associação

A associação dos industriais de panificação de Lisboa, Santarém, Setúbal, Leiria e Évora, "vê com muita dificuldade que as empresas do sector consigam sobreviver sem ter que proceder a actualizações dos preços dos seus produtos finais".
Pão pode ficar mais caro com aumento do salário mínimo, avisa associação
Bloomberg
Lusa 11 de janeiro de 2017 às 19:59
A Associação dos Industriais de Panificação, Pastelaria e Similares de Lisboa (AIPL) anunciou hoje que o aumento do salário mínimo implica um acréscimo de 2,5% dos custos de produção, que poderá levar ao aumento dos preços dos produtos finais.

A AIPL, representante das Padarias dos distritos de Lisboa, Santarém, Setúbal, Leiria e Évora "vê com apreensão a repercussão do aumento do Salário Mínimo Nacional (SMN) nesta indústria".

"No nosso sector, só os salários pesam entre 45 a 55% nos custos de produção, pelo que um aumento do SMN em 5% reflecte-se num acréscimo dos custos de produção da ordem dos 2,5%", disse a associação numa nota de imprensa.

A AIPL lembrou ainda "que há aumentos de outros Factores de Produção (luz, água, combustíveis, entre outros)".

"A AIPL vê com muita dificuldade que as empresas do sector consigam sobreviver sem ter que proceder a actualizações dos preços dos seus produtos finais", concluiu a associação.

O SMN passou no início do mês para os 557 euros.

A sua opinião3
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo 11.01.2017

Então e a descida da TSU não conta
Esses gajos e os dos combustíveis são uns ladrões

António Gomes 11.01.2017

Mais uma tentativa canhestra de ir aos bolsos dos consumidores, com argumentos absolutamente sórdidos.
A panificação é uma das actividades mais rentáveis em Portugal.

Anónimo 11.01.2017

Há gente que que não se enxerga! Perguntem a esse marmelo porque não fala do preço do trigo, supostamente há-de afetar o preço do pão, não é? Comparem o preço atual com o verificado há 1 ano atrás e logo percebem. Se compararem com 2 anos atras, melhor ainda. Esse gajo que tenha vergonha...

pub