Finanças Públicas Parlamento aprova esta quarta-feira novo grupo de trabalho sobre dívida pública

Parlamento aprova esta quarta-feira novo grupo de trabalho sobre dívida pública

Menos de duas semanas depois da divulgação do relatório do grupo de trabalho do PS e do Bloco sobre dívida pública, agora é a vez de o PCP propor a criação de uma estrutura permanente. A aprovação está garantida.
Parlamento aprova esta quarta-feira novo grupo de trabalho sobre dívida pública
Miguel Baltazar
Negócios 09 de maio de 2017 às 19:36

A Assembleia da República vai aprovar esta quarta-feira uma proposta do PCP, cujo grupo parlamentar é liderado por João Oliveira (na foto), para a criação de um grupo de trabalho sobre a dívida e o endividamento público e externo. Em comunicado, os comunistas garantem que têm já o acordo do PS e, segundo apurou o Negócios, também o Bloco de Esquerda viabilizará a iniciativa.

 

O PCP explica que o grupo de trabalho irá proceder "à avaliação do endividamento público e externo", fazendo "o escrutínio das causas profundas deste endividamento", bem como "o diagnóstico da situação actual. Desse mesmo grupo, que funcionará no seio da Comissão de Orçamento e Finanças, o PCP espera que venham a surgir "possíveis soluções para este gravíssimo problema que condiciona o presente e o futuro do nosso país".

 

Esta iniciativa do PCP surge menos de duas semanas após a divulgação do relatório do grupo de trabalho constituído pelo PS e pelo Bloco de Esquerda sobre a dívida pública. 

O Negócios procurou obter informações adicionais da parte do PCP mas não foi possível em tempo útil. 




A sua opinião6
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado DJ viajante 09.05.2017

Uma pergunta: estes grupos de trabalham formado por deputados (que nunca trabalharam a nao ser de mama) sao pagos? Sinceramente nao sei para que servem quando a coisa e obvia: REFORMAS.

comentários mais recentes
Anónimo 10.05.2017

Deixem-me dizer desde já o que esse relatório vai dizer: A divida tem de ser renegociada, temos de baixar a taxa de juro, a europa deve de mutilara a divida, os credores têm de perdoar parte da divida, o BDP tem de entregar tudo ao estado. Pronto, já podem cancelar essa pseudo grupo.

Anónimo 09.05.2017

Foi fácil gastar o que não havia, pedindo emprestado. Para pagar, recorre-se à habitual habilidade de entreter o credor. Tudo serve para continuar a enganar incautos ou, como no caso presente, fanatizados. Alertar a população para o erro de não continuar a viver acima das posses, não é com esta gente "milagreira". E...porque não darem já um pequeno exemplo de poupança, restringindo os deputados a 180. Custariam menos à Nação e, estorvariam também muito menos!!!

génio 09.05.2017

Ahahahahahahahahahaah, discutir o quê?? não pagar a divida? só tem que dizer isso em Bruxelas no dia seguinte temos a festa...

Anónimo 09.05.2017

Para se sair de um buraco a primeira coisa a fazer é parar de cavar. Mas nos últimos 12 meses a dívida cresceu"só" 10 mil milhões de euros. O País não tem solução.

ver mais comentários
pub