Economia Parlamento vai gastar mais 62 milhões em 2017

Parlamento vai gastar mais 62 milhões em 2017

A Assembleia da República conta gastar em 2017 um total de 168,5 milhões de euros, mais 62,5 milhões do que o orçamentado para 2016. Em ano de autárquicas, um dos maiores aumentos está na rubrica das transferências para a Comissão Nacional de Eleições.
Parlamento vai gastar mais 62 milhões em 2017
Miguel Baltazar
Filomena Lança 11 de Novembro de 2016 às 11:07

Orçamento da Assembleia da República (AR) vai ter em 2017 um aumento de despesas na ordem dos 62,5 milhões de euros face a 2016. De acordo com o documento publicado esta sexta-feira, 11 de Novembro, em Diário da República, o total de despesas ascende a 168,5 milhões de euros e uma das explicações para o aumento está nas transferências para a Comissão nacional de Eleições (CNE), um dos organismos independentes que funcionam junto da AR.

 

2107, recorde-se, é ano de realização de eleições autárquicas, o que justificará esta subida. Assim, as transferências do OE que a AR recebe para cobrir a subvenção estatal para as campanhas eleitorais ascenderão a 60,1 milhões de euros, o que compara com 4,1 milhões orçamentados em 2016, ano em que se realizaram também eleições, mas para a Presidência da República.

 

Mas, no geral, registam-se aumentos, em praticamente todos os itens. Um deles é o das despesas com pessoal, que passam de 48 milhões em 2016 para 49,3 milhões em 2017, num ano em que haverá reposições salariais para a função pública já para a totalidade do ano. Há ainda aumentos em rubricas como aquisições de bens e serviços (mais um milhão de euros), por exemplo.

 

Com investimentos em edifícios a AR conta gastar 2,4 milhões de euros, um valor que compara com os 280 mil euros orçamentados para este ano de 2016. Destinam-se à realização de obras nos edifícios do Parlamento com excepção do Palácio de São Bento, que tem uma rubrica própria e que este ano tem orçamentados para o efeito cerca de 1,5 milhões, um valor idêntico ao do último ano.  




A sua opinião4
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Há aqui uma malta Há 3 semanas

Que acha que as coisas são de borla.

QUANDO? Há 3 semanas

Quando acabamos com esta "xulice"?

Anónimo Há 3 semanas

vergonha, vergonha, vergonha

Mr.Tuga Há 3 semanas

Estes cavalheiros "senadores" cá da pocilga são uns chulecozitos! Eles é não pagar IMI e sempre a abrir! Com exemplos destes...

pub