Política Parlamento aprova suspensão do funcionamento da Comissão de Inquérito sobre CGD

Parlamento aprova suspensão do funcionamento da Comissão de Inquérito sobre CGD

A Assembleia da República aprovou esta sexta-feira, em plenário, por unanimidade, uma resolução para suspender até ao final deste ano a contagem do prazo de funcionamento da Comissão Parlamentar de Inquérito sobre a Caixa Geral de Depósitos (CGD).
Parlamento aprova suspensão do funcionamento da Comissão de Inquérito sobre CGD
Bruno Simão
Lusa 21 de Outubro de 2016 às 14:23

No projecto de resolução apresentado pela mesa da Assembleia da República, justifica-se a suspensão da contagem do prazo da Comissão Parlamentar de Inquérito sobre a recapitalização e gestão da CGD pelas dificuldades que existem se estes trabalhos decorressem em simultâneo com o processo de discussão e votação da proposta do Governo do Orçamento do Estado para 2017.  

 

Assim, no diploma agora aprovado, estipula-se a suspensão dos trabalhos desta comissão de inquérito parlamentar entre o passado dia 15 deste mês e 30 de Dezembro.

 

Na mesma série de votações, com a abstenção do PSD, foi aprovado o texto final da Comissão de Orçamento e Finanças sobre as autorizações legislativas requeridas pelo Governo para alterações ao código de imposto de selo, imposto único de circulação, IVA, IRS, IRC, regime de IVA de transacções comunitárias e IMI.

 

Ainda relativamente a matérias financeiras, com a abstenção do PAN (Pessoas Animais e Natureza), foi aprovada uma deliberação sobre o Orçamento da Assembleia da República para 2017.




A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Anónimo Há 2 semanas


PENSIONISTAS DA FP ROUBAM OS TRABALHADORES E PENSIONISTAS DO PRIVADO.


Os descontos efetuados pela FP só permitem pagar metade do valor das pensões.

O resto vem dos impostos pagos por todos os portugueses (ou seja, NÃO é propriedade do pensionista)!

É ROUBADO pelo pensionista.

comentários mais recentes
Anónimo Há 2 semanas


PENSIONISTAS DA FP ROUBAM OS TRABALHADORES E PENSIONISTAS DO PRIVADO.


Os descontos efetuados pela FP só permitem pagar metade do valor das pensões.

O resto vem dos impostos pagos por todos os portugueses (ou seja, NÃO é propriedade do pensionista)!

É ROUBADO pelo pensionista.

pub
pub
pub
pub