Justiça Parvalorem vai receber 18 milhões de euros de indemnização pelo caso Homeland

Parvalorem vai receber 18 milhões de euros de indemnização pelo caso Homeland

O caso Homeland, no âmbito do qual Duarte Lima foi condenado a 10 anos de prisão efectiva, inclui a uma indemnização à Parvalorem, empresa que tem os activos tóxicos do ex-BPN, que pode atingir 18 milhões de euros. O advogado de Duarte Lima já disse que ia recorrer.
Negócios 28 de novembro de 2014 às 20:06

Os quatro arguidos que foram condenados a penas efectivas no caso Homeland vão ter de, conjuntamente, pagarem à Parvalorem uma indemnização que pode chegar aos 18 milhões de euros.

 

A Parvalorem foi um dos veículos constituídos quando o BPN foi nacionalizado e que ficou com os activos tóxicos do BPN.

 

O tribunal além das condenações a prisão decidiu condenar os arguidos a uma indemnização à Parvalorem.

 

Os quatro arguidos que vão ter de indemnizar a Parvalorem são Duarte Lima, condenado a 10 anos, Vítor Raposo, a seis anos, Pedro Paiva (dois anos e seis meses) e João Paiva, a quatro anos,. 

 

Pedro Almeida e Paiva, outro dos arguidos, que foi condenado a prisão suspensa ainda foi condenado a indemnizar o IPO em 50 mil euros.

 

Já Francisco Canas, mais conhecido por "Zé das Medalhas", foi condenado a quatro anos de prisão efectiva.

 

Apenas Pedro Lima, filho de Duarte Lima, foi absolvido.

 

De acordo com a Lusa, o colectivo de juízes entendeu ainda que Duarte Lima se serviu do próprio filho para efectuar determinados negócios e transacções e que, durante o julgamento, foi incapaz de aceitar a evidência da culpa.

 

O caso Homeland envolve um empréstimo concedido pelo BPN para a compra de uns terrenos em Oeiras onde seria instalado o novo Instituto Português de Oncologia. O tribunal deu como provado três crimes de burla qualificada e dois de branqueamento de capitais.

 

 




Saber mais e Alertas
pub