Ambiente Passagem de furacão Ophelia sem ocorrências graves nos Açores

Passagem de furacão Ophelia sem ocorrências graves nos Açores

O presidente do Serviço Regional de Protecção Civil e Bombeiros dos Açores, Carlos Neves, afirmou hoje que não se registaram prejuízos nem consequências graves após a passagem do furacão Ophelia, apenas pequenas ocorrências.
Passagem de furacão Ophelia sem ocorrências graves nos Açores
Lusa 15 de outubro de 2017 às 11:33
"Durante a madrugada apenas houve o registo de quatro quedas de árvores, três no concelho de Ponta Delgada e uma na Povoação (ilha de São Miguel)", adiantou o tenente-coronel Carlos Neves, em declarações à agência Lusa.

O responsável acrescentou que no sábado, no caso do grupo Central (Terceira, Graciosa, São Jorge, Pico e Faial) foram registadas cinco ocorrências relacionadas com pequenas derrocadas e uma infiltração numa moradia, enquanto em São Miguel, grupo oriental, foram intervencionadas três ocorrências, nomeadamente duas pequenas inundações e a queda de uma árvore.

O presidente da Protecção Civil dos Açores referiu também que "todo o dispositivo montado na sequência da aproximação ao arquipélago do furacão Ophelia já foi desmobilizado, mantendo-se o serviço normal de socorro às populações".

A aproximação do furacão Ophelia levou o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) a emitir vários avisos meteorológicos que, entretanto, já foram desactivados.

Em comunicado, o IPMA informa que se encontra ultrapassada a situação, pelo que cessam os avisos e as recomendações emitidas.

Adianta ainda que às 09:00 locais (mais uma hora em Lisboa) o centro do furacão Ophelia (categoria 2) já se encontrava a 655 quilómetros a nordeste do arquipélago, prevendo-se assim uma melhoria das condições meteorológicas.



A sua opinião2
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
ALQUEVA DO NORTE versus PINTURAS RUPESTRES Há 5 dias

Dizem os entendidos - e eu acredito, dada a sua enorme extensão - que a BARRAGEM DO ALQUEVA tem água armazenada capaz de fazer frente A MAIS DOIS ANOS DE SECA EXTREMA.
Entretanto, vemos o também enorme VALE DE FOZ COA, transformado num elefante branco, quando podia ser a bênção do Norte em água.

ALQUEVA DO NORTE versus PINTURAS RUPESTRES Há 5 dias

O "bom tempo" está a ser um drama para o país, com excepção da enorme área de influência da BARRAGEM DO ALQUEVA, q se está a revelar uma bênção para BEJA, ÉVORA e toda a zona agrícola adjacente.
Entretanto o NORTE DO PAÍS sofre e bem, porque, em vez de uma ALQUEVA DO NORTE, quis PINTURAS RUPESTRES.

Saber mais e Alertas
pub