Política Passos Coelho acusa PCP e BE de terem mudado de opinião sobre descida da TSU

Passos Coelho acusa PCP e BE de terem mudado de opinião sobre descida da TSU

O presidente do PSD, Pedro Passos Coelho, afirmou este sábado que PCP e Bloco de Esquerda mudaram de opinião sobre a redução da Taxa Social Única (TSU), notando que no ano passado concordavam com a medida.
Passos Coelho acusa PCP e BE de terem mudado de opinião sobre descida da TSU
Miguel Baltazar
Lusa 14 de janeiro de 2017 às 19:37

"Eu não me lembro de o PCP e de o Bloco de Esquerda terem estado contra a decisão do Governo e eles fizeram a mesma coisa no ano passado", disse o líder social-democrata, na cerimónia de tomada de posse dos novos órgãos distritais do PSD de Évora.

Pedro Passos Coelho referiu que, este ano, "se a decisão foi tomada e andou para frente, foi porque eles (PS, PCP e Bloco de Esquerda) concordaram", caso contrário a descida da TSU "tinha caído" em 2016.


"Este ano, porque há eleições autárquicas ou por outra coisa qualquer, parece que estão desentendidos", realçou o responsável social-democrata, num discurso de cerca de 40 minutos, na cerimónia que decorreu numa unidade hoteleira da cidade alentejana.


A medida está prevista no acordo de concertação social, que consagrou o aumento do Salário Mínimo Nacional (SMN), mas tanto o Bloco de Esquerda como o PCP admitiram levá-la ao Parlamento, caso o Governo insista na redução da TSU para as empresas como forma de compensá-las pelo aumento do SMN.


"Às vezes, pergunto-me se nesses partidos mais à esquerda não pensariam mesmo que ‘isto é que era bom, eles ficam a decidir o Salário Mínimo Nacional, o mais alto possível, o PSD que, depois, lá no Parlamento, pague a factura dessa coisa, que eles não estão para isso’", ironizou.


"E, se nós não apoiarmos isso, não somos responsáveis e somos incoerentes", acrescentou, frisando que o PSD "não faz parte da geringonça", que "ninguém pediu opinião para tomar estas decisões" e que consigo "não negociaram nada".


Passos Coelho sublinhou que o seu partido pode não concordar, mas respeita e sempre respeitou as posições dos parceiros sociais e disse esperar "a mesma coisa de volta", mas frisou que não foi com os sociais-democratas que os parceiros sociais negociaram.


"Foi com o Governo e o Governo não nos veio pedir a nós apoio para fazer aquela negociação, foi ao Bloco de Esquerda e ao PCP. Portanto, é lá que vai mesmo ter que resolver esse problema", acentuou.


O presidente do PSD assinalou que "quando estava no Governo com o CDS, negociava com o CDS", afirmando que "o PS tem uma negociação com o Bloco de Esquerda e com PCP e é lá que deve negociar".


Referindo que PS, PCP, BE e ‘Os Verdes’ "não perdem nenhuma oportunidade para lembrar que o PSD não é preciso no Governo para coisa nenhuma e que o seu voto não é preciso para nada", Passos Coelho pediu a esses partidos que sejam "coerentes com esta sua afirmação".


"Se a coisa começou assim com a TSU e o Salário Mínimo Nacional, como vai ser o resto do ano? Vão andar sempre a pedir ao PSD para apoiar o Governo porque eles, este ano, estão de baixa, meteram folga?", questionou.


A sua opinião9
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo 16.01.2017

Cuidado com a proclamada liberdade. Este( http://www.dn.pt/tag/alberto-goncalves.html ) já foi despedido do DnSocrático

Passos o povo não te dá ouvidos,vai trabalhar 15.01.2017

Nunca mais chegas ao poder,o povo não é parvo,votou 62% e vai votar mais forte para ires trabalhar.

comunista marxista-leninista 15.01.2017

Vê se voltas a ferrar o cão à SS e se abafas mais uns trocos na tecnoforma...

Eleutério Viegas 15.01.2017

Força, Passos! A forma como os ranhosos da turminha do porco preto o atacam só mostra que Passos é necessário e faz falta a Portugal!!!

ver mais comentários
pub
pub
pub
pub