Economia Passos Coelho insatisfeito com explicação do Governo sobre donativos a Pedrógão

Passos Coelho insatisfeito com explicação do Governo sobre donativos a Pedrógão

O líder do PSD, Pedro Passos Coelho, disse hoje estar insatisfeito com a explicação do Governo sobre a aplicação das verbas doadas por cidadãos às vítimas do incêndio de Junho em Pedrógão Grande, no distrito de Leiria.
Passos Coelho insatisfeito com explicação do Governo sobre donativos a Pedrógão
Miguel Baltazar/Negócios
Lusa 06 de setembro de 2017 às 18:43
Em declarações aos jornalistas em Aguiar da Beira, durante uma visita à Santa Casa da Misericórdia, Passos Coelho considerou que "valeu a pena o PSD ter colocado a questão", sublinhando que há muito aguardava uma justificação.

"Foi bom que tivesse havido uma explicação pública, mas não nos satisfaz no sentido em que nos parece que há um desfasamento muito grande entre aquilo que foi anunciado e aquilo que, de facto, está a chegar às pessoas", lamentou.

O primeiro-ministro, António Costa, afirmou na terça-feira que o Estado, após a tragédia do incêndio de Pedrógão Grande, só organizou um fundo, o Revita, que tem 1,9 milhões de euros e é gerido conjuntamente com as autarquias e a sociedade civil.

O presidente do PSD criticou "a forma como o Governo procurou empurrar para terceiros explicações que, de certa maneira, também poderia dar".

"Mas, enfim, é uma maneira que já nos vamos habituando de ver o Governo responder", acrescentou.

Passos Coelho sublinhou ainda que "todo este processo mostrou da parte da sociedade civil uma resposta muito generosa, muito altruísta, muito solidária", tendo as pessoas reagido "muito rapidamente àquilo que estavam a ver".

"Perceberam que havia dificuldades nas pessoas, famílias e zonas que foram mais afetadas pelos incêndios e quiseram dar uma resposta pronta, rápida. Os meses vão passando e percebe-se que o Estado não está ao mesmo nível da resposta solidária das pessoas", lamentou.

O ex-primeiro-ministro admitiu que "há coisas que têm que ser organizadas, planeadas, não podem ser feitas com excessos de voluntarismo", mas considerou que "já passou tempo suficiente para que o Estado pudesse organizar uma resposta mais eficiente".

Questionado sobre a possibilidade de vir a ser averiguada a atuação da Autoridade Nacional de Proteção Civil nos incêndios de Mação, o líder social-democrata admitiu que esta entidade "tenha várias explicações a dar sobre muitas das ocorrências que se registaram".

"Registo essa queixa dos autarcas de Mação. Há muitas outras de municípios que perceberam a diferença entre aquilo que ia sendo comunicado pela Proteção Civil e os meios que eram colocados à disposição e essas coisas têm que ser resolvidas com muita naturalidade", frisou.

O líder do PSD referiu ainda que "a pior resposta que um Governo e uma administração pode dar é uma resposta defensiva, de se fechar, de achar que isto é uma maneira provocatória de estar a criticar a atuação das entidades".

"É isso que, às vezes, parece acontecer", acrescentou.



A sua opinião15
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado oluapaxe Há 2 semanas

Ó costa diz lá ao centino que as doações dos portugueses para as vitimas de Pedrógão não são para cativar!!!

comentários mais recentes
Anónimo Há 2 semanas

O DR COSTA ATÉ ESTEVE BEM QUANDO DISSE AOS JORNALISTAS QUE O GOVERNO APENAS PODE INDICAR A DISTRIBUIÇÃO DO DINHEIRO QUE ESTIVER NAS MÃOS DO ESTADO PARA ESSE EFEITO.

O SR PRESIDENTE DA CARITAS É QUE NÃO RESISTIU E, AO SENTIR-SE INCOMODADO, EM VEZ DE DIZER QUE PUBLICARIA A LISTA DOS BENEFICIARIOS, VEIO DIZER A DESPROPÓSITO QUE SE O GOVERNO TIVESSE DÚVIDAS ( O QUE NÃO FOI MANISFESTADO PELO GOVERNO), PODERIA JUNTO DO MINISTÉRIO PÚBLICO PEDIR PARA AVERIGUAR AS CONTAS NOS BANCOS, COMO SE AÍ HOUVESSE TRANSPARÊNCIA.
ESTA GENTE FAZ SEMPRE DE BONZINHOS MAS DE VEZ EM QUANDO MOSTRAM A VERDADEIRA RAÇA!

Anónimo Há 2 semanas

Passos Coelho insatisfeito com explicação do Governo sobre donativos a Pedrógão

COMO DIZIA A MINHA AVÓ, TRATA-SE DE UM BURRO DESCONTENTE!
EU SE TIVESSE DONATIVOS PARA DAR PROCEDERIA DA SEGUINTE FORMA:
CONSULTAVA A LISTA DO PREJUDICADOS E FAZIA A ENTREGA DIRECTA AOS MESMOS.
SE NÃO FOR ASSIM, JÁ SABEMOS QUE SÓ CHEGARÁ LÁ METADE DOS DONATIVOS E ISTO APLICA~SE AO ESTADO E ÁS INTITUIÇÕES PRIVADAS.

Criador de Touros Há 2 semanas

Concordo com Passos Coelho.

Criador de Touros Há 2 semanas

Passos Coelho tem a razão toda.

ver mais comentários
pub
pub
pub
pub