Emprego Passos Coelho: Número de trabalhadores com baixos salários aumentou com actual Governo

Passos Coelho: Número de trabalhadores com baixos salários aumentou com actual Governo

O presidente do PSD disse este domingo que o número de trabalhadores com baixos salários cresceu com as políticas do actual Governo, estimando que no final de 2016 "quase um milhão" de trabalhadores ganhava o salário mínimo.
Passos Coelho: Número de trabalhadores com baixos salários aumentou com actual Governo
Miguel Baltazar
Lusa 12 de fevereiro de 2017 às 16:58
Pedro Passos Coelho, que falava na Guarda, onde presidiu à sessão de encerramento do "Congresso da Coesão Territorial - O futuro dos territórios", organizado pela Juventude Social-Democrata (JSD) disse que o país precisava de ter "um modelo de desenvolvimento assente em mais altos salários e o que é que se está a passar? De 2014 até agora cada vez são mais os trabalhadores a tempo completo que recebem o Salário Mínimo Nacional (SMN)".

"Na Primavera de 2014 eram cerca de 400 mil os trabalhadores que ganhavam o Salário Mínimo Nacional. A nossa estimativa é que no fim de 2016 seja quase um milhão o número de trabalhadores que ganham o Salário Mínimo Nacional", afirmou.

O líder dos sociais-democratas e ex-primeiro-ministro classificou como "cinismo e hipocrisia" a crítica que foi feita ao PSD no passado, ao ser acusado de fomentar "o modelo económico baseado nos baixos salários", quando "os baixos salários cresceram com o novo Governo e com as suas novas políticas".

"Estava em boa altura, só a partir destes dois exemplos, de esperar que o Governo fizesse um reexame destas políticas, porque os problemas estão a ser agravados. Não estamos a vencer a batalha das desigualdades, estamos a agravar essas desigualdades", concluiu.

No seu discurso disse ainda que o país precisa de investimento, "que traga emprego, e de preferência emprego mais qualificado, com investimento mais qualificado, que acrescente valor".

"Aquilo que se está a passar é um retrocesso neste caminho que vimos fazendo, pelo menos desde que iniciámos processos de transformação estrutural da nossa economia a partir de 2011", afirmou.

Passos apontou que "há vários retrocessos", dando o exemplo do aumento do número de trabalhadores que recebem o Salário Mínimo Nacional e do abandono escolar precoce.



A sua opinião15
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Anónimo Há 2 semanas

É melhor aumentar o número de trabalhadores com salários baixos, que aumentar o desemprego para os níveis, quando eras tu a governar.

comentários mais recentes
Tereza economista Há 2 semanas

Este Passos Coelho é o cumulo do péssimo politico, não vale nada, não tem um pingo de competência, mas fala, fala e só diz asneiras, no seu tempo as ofertas das empresas eram de 300 euros nem as obrigando a oferecer o ordenado mínimo

pertinaz Há 2 semanas

CARREGA PASSOS !!! ESTE DESGOVERNO NIVELA TUDO POR BAIXO ... VAMOS ACABAR TODOS EM CALL CENTERS E CAIXAS DE SUPERMERCADO !!!

28Outubro Há 2 semanas

Este aldrabão não tem vergonha na cara, quando foi governo alterou a lei laboral a favor do patronato, baixou o custo do trabalho, fez milhares de pobres. Grande descaramento...

A lata Há 2 semanas

Contigo triplicaram os salários de 500 euros Muita lata

ver mais comentários
pub