Economia Passos Coelho: "Governo vai ter de negociar em nome de Portugal com o FMI e a UE"

Passos Coelho: "Governo vai ter de negociar em nome de Portugal com o FMI e a UE"

O líder social-democrata diz que nunca deixaria o País ir à falência.
Negócios 11 de abril de 2011 às 22:33
“O PSD já disse que apoiava este pedido de ajuda externa e já se sabe que sem o acordo do PSD essa ajuda nao virá. Eu nunca deixaria o País ir à falência, fazer um ‘default’, custe isso o que custar”, assegurou Pedro Passos Coelho em entrevista à TVI.

Crítico da forma como o governo conduziu a apresentação do novo programa de austeridade à CE e sublinhando que “Sócrates até a carta já tinha preparada para apresentar em Bruxelas”, o líder do PSD referiu também que “o governo chegou a querer atirar para Cavaco a negociação com o FMI”.

Sobre as propostas do PSD e a negociação de uma ajuda financeira com a UE/FMI, Passos Coelho declarou que “o PSD tem trabalhado afincadamente com uma equipa de grande competência numa proposta de médio e longo prazo para a economia portuguesa, que tem sido liderada por Eduardo Catroga” e referiu que a resposta não pode passar por aumentar sistematicamente impostos e tirar rendimento aos portugueses, pois isso trará mais austeridade mas não trará crescimento.

“Ninguém passa um cheque em branco. Eu disse, por exemplo, que não aceitava que se mexesse nas pensões mais degradadas em Portugal. Um pessoa que viva com uma reforma de 200 euros vai fazer a austeridade que o Estado nao fez?”, questionou-se o líder do PSD.