Economia Passos considera "excelente notícia" subida do 'rating'. Mas diz que podia ter acontecido antes

Passos considera "excelente notícia" subida do 'rating'. Mas diz que podia ter acontecido antes

O presidente do PSD, Pedro Passos Coelho, classificou como "uma excelente notícia" a decisão da agência de notação financeira Standard and Poor's (S&P) de retirar Portugal do 'lixo', embora considerando que tal podia ter acontecido mais cedo.
Passos considera "excelente notícia" subida do 'rating'. Mas diz que podia ter acontecido antes
Paulo Duarte
Lusa 15 de setembro de 2017 às 22:50

"Se não tivéssemos tido uma alteração de governo, muito provavelmente essa melhoria teria ocorrido mais rapidamente", afirmou Passos Coelho esta sexta-feira, em declarações aos jornalistas, à margem de um jantar de campanha autárquica em Mafra.

 

Pedro Passos Coelho salientou que o anterior executivo PSD/CDS-PP "lutou muito" para que esta subida de 'rating' acontecesse, mas disse não querer retirar mérito ao actual Governo socialista.

 

"Tem o mérito de ter conseguido nestes dois anos provar que os receios que os investidores tinham eram infundados porque o Governo acabou por garantir as metas que eram importantes para os que estabelecem o 'rating' para o país", afirmou.

 

A notícia da decisão da S&P foi conhecida a meio do discurso do líder do PSD, que falava num jantar de apoio ao candidato do partido à Câmara Municipal de Mafra, Hélder Sousa Silva.

 

"Vem assim um bocadinho mais tarde do que em circunstâncias normais teria acontecido, mas é indiscutivelmente uma excelente notícia era aquilo que faltava para Portugal neste caminho de recuperação pudesse plenamente receber o investimento graduado", disse, já depois do discurso, em declarações à comunicação social.

 

Passos Coelho considerou que, pelo menos desde 2014, o país aguardava esta subida de 'rating' e sublinhou que, nessa altura, a própria Standard & Poor’s chegou a colocar o país numa perspectiva positiva.

 

Questionado sobre se esta boa notícia torna mais difícil a campanha eleitoral do PSD para as autárquicas, Passos defendeu que em 1 de Outubro estarão em causa sobretudo questões locais.

 

"Quanto à utilização que o Governo vai fazer deste resultado, veremos. Se for consistente com o seu comportamento nestes dois anos, quererá apresentar este resultado como uma derrota do PSD", alertou, dizendo que o partido se habituou a "uma retórica que não é séria".

 

A agência de notação financeira Standard and Poor's (S&P) tirou hoje Portugal do 'lixo', revendo em alta o 'rating' atribuído à dívida soberana portuguesa de 'BB+' para 'BBB-', um primeiro nível de investimento.

 

Com esta revisão em alta para 'BBB-', com perspectiva 'estável', Portugal volta a ter uma notação de investimento, atribuída por uma das três principais agências de 'rating' mundiais.

 

Desde 2015 que a agência atribuía à dívida soberana portuguesa um rating 'BB+', a nota mais elevada de não investimento, com uma perspectiva 'estável'.




A sua opinião7
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
PPC morreu politicamente, e ainda não deu conta! Há 6 dias

Mas que noticia péssima par o Coelho, assim para chegar ao poleiro vai ser um degredo!

PPC já morreu politicamente e ninguém lhe diz?! Há 6 dias

Isto não é boa noticia para o «cuelho» sem lábios (beiços)! PPC só tinha uma hipótese remota de ser PM se acontecesse uma catástrofe, se viesse o DIABO! Assim vai dizendo q é bom, mas lá no fundo queria q não fosse assim, para ele ir de novo para o poleiro aplicar as tesouradas sempre aos mesmos!

Claro! Com o Cuelho nao ha buraco q lhe meta medo Há 1 semana

"E' evidente"o chefe Cuelho tinha cavado um buraco mais fundo, o Banif nunca mais era visto. A Caixa teria sido vendida,tal como fez com os seguros,a Cimpor etc, por tuta e meia...UM FARTOTE DE VIGARICES!
Quanto ao resto esmifrava pensoes e ordenados dos mesmos.Os 600 milhoes eram so o aperitivo.

General Ciresp Há 1 semana

Nem mais passos,ja agora da 1 ajuda a gerigonca e leva esse lixo la para o largo do rato,que eu nao preciso de o ter a minha porta.Que contraste num so dia:o FMI puxa as orelhas a gerigonca explicando a razao ao comecar o dia,e ao fim dele o S&P vem dizer sem explicacao q pais vai caminhando parado.

ver mais comentários
pub
pub
pub
pub