Orçamento do Estado Passos destaca revisão em alta do crescimento de 2015

Passos destaca revisão em alta do crescimento de 2015

O ex-primeiro-ministro reagiu aos números do défice e do PIB deste ano, divulgados hoje pelo INE, realçando que o actual Governo beneficiou dos resultados do Executivo anterior, por si liderado.
Passos destaca revisão em alta do crescimento de 2015
Miguel Baltazar

O líder do PSD desvalorizou esta sexta-feira os dados do défice e do PIB divulgados pelo Instituto Nacional de Estatística (INE), realçando antes que a revisão em alta do crescimento económico de 2015 mostra que o actual Governo beneficiou dos resultados deixados pelo Executivo anterior, por si liderado. 

O PIB vai "confortavelmente a ficar estabelecido em torno de 2,5%, que é um valor de que tenho falado", disse Passos Coelho aos jornalistas, à margem de uma visita na zona de Alcobaça.

"Estamos mais ou menos à espera", afirmou, acrescentando ser "perfeitamente plausível, a menos que alguma coisa não corra bem no final do ano mas não é expectável". 

Passos Coelho preferiu depois realçar outro dado também hoje divulgado pelo INE. Os dados, "do ponto de vista do crescimento não trouxeram nenhuma novidade para este ano", referiu. "Curiosamente o que nos é revelado pelo INE é que o ano de 2015 foi anda razoavelmente e melhor do que se sabia." 

A economia cresceu 1,8% e não 1,6% "como até há pouco se acreditava" e, por isso, "o desempenho em 2015 foi ainda mais robusto e forte e deu ajuda para 2016", sustentou.

O desempenho de 2016 "acabou por ter um efeito induzido pelo crescimento do ano anterior", acrescentou. 

O actual Governo liderado por António Costa tomou posse a 26 de Novembro de 2015. Até lá foi Passos Coelho que esteve na liderança do Executivo.

Segundo dados do INE, o PIB cresceu 3% no segundo trimestre deste ano face ao período homólogo, o que constitui uma revisão em alta face ao valor anterior que apontava para 2,9%. 

Os resultados finais das contas nacionais anuais em 2015, também divulgados hoje, indicam que a economia cresceu 1,8% naquele ano, o dobro do ano anterior.




A sua opinião9
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
DEVIA ERA LEMBRAR AS PROMESSAS DO IRS E OS 600 ML Há 1 dia

Um aldrabao sem vergonha SERA SEMPRE UM ALDRABAO SEM VERGONHA!
O chefe Cuelho ,um autentico PAPAGAIO que REPETE todos os dias, CHAVOES e ALDRABICES
NAO TEM a minima capacidade intelectual para apresentar UMA UNICA IDEIA CONTRUTIVA Q SEJA.
Tal insuficiencia causa a criatura uma AZIA CRONICA AGUDA

Que cata vento Há 1 dia

Então não vinha aí o Diabo?

lol Há 1 dia

Ano 2017 - "Crescimento do PIB revisto novamente em alta para 3%", esse piegas mentiroso que emigre

Muito estranho mesmo Há 1 dia

Estranho é ainda haver gente que vota neste aldrabão, certamente gente da mesma laia.

ver mais comentários
pub
Saber mais e Alertas
pub
pub
pub