Política Passos diz que SIRESP "tem a cara" do actual primeiro-ministro

Passos diz que SIRESP "tem a cara" do actual primeiro-ministro

O presidente do PSD disse que o sistema de redes de emergência SIRESP "tem a cara do actual primeiro-ministro", já que foi aprovado por António Costa quando este desempenhava as funções de ministro da Administração Interna.
Passos diz que SIRESP "tem a cara" do actual primeiro-ministro
Luís Costa/Correio da Manhã
Lusa 13 de agosto de 2017 às 23:50

De acordo com Pedro Passos Coelho, mesmo depois de, na altura, o Tribunal de Contas ter inviabilizado o contrato, António Costa "entendeu não lançar nenhum novo concurso" e os termos em que aquela Parceria Público Privada foi adjudicada "são os termos que constam da sua assinatura".

 

"O primeiro-ministro, sabendo que o sistema que tem a cara dele está a falhar, quer minimizar os problemas de funcionamento do SIRESP", apontou, durante o discurso de quase uma hora que proferiu este domingo na festa do Pontal, em Quarteira, que marca a "rentrée" política do PSD.

 

Referindo-se ao facto de o primeiro-ministro ter responsabilizado a PT pelas falhas ocorridas no Sistema Integrado de Redes de Emergência e Segurança de Portugal (SIRESP) durante o incêndio de Pedrógão Grande, Passos Coelho sugeriu que a preocupação de António Costa está mais relacionada com a Altice, a empresa que agora detém a PT.

 

"Pergunto-me se a preocupação do primeiro-ministro é com o SIRESP ou se é com a intenção que a Altice demonstrou de intervir como investidor com mais relevo na economia nacional e não tenha ido primeiro à beija mão do Governo e do primeiro ministro, merecendo, por isso, críticas frontais de um chefe de Governo a uma empresa privada em Portugal", lançou.

 

O líder do PSD disse ainda que esta não é a altura de falar em responsabilização política, no que respeita aos incêndios, o que não significa "que tenha que valer a rolha", como o governo "quis impor".




pub