Impostos Passos: Governos “não são tidos nem achados” nas transferências para "offshore"

Passos: Governos “não são tidos nem achados” nas transferências para "offshore"

O líder social-democrata acusou no sábado à noite em Ourém os partidos da maioria parlamentar de fazerem sugestões insidiosas.
Passos: Governos “não são tidos nem achados” nas transferências para "offshore"
Lusa 12 de março de 2017 às 10:27
"Porque é que os partidos da maioria estão sempre a fazer a sugestão insidiosa de que é o Governo o responsável pelas entidades que transferiram o dinheiro terem decididofazê-lo, se sabem que os governos não são tidos nem achados nesses processos", questionou Passos Coelho.

O presidente do PSD sublinhou que não é o Governo que diz à Autoridade Tributária para actuar "desta ou doutra maneira" em relação "a este cliente, ou àquela empresa ou àquela transferência".

"Não acontece isso com este Governo, como não acontecia com o Governo anterior ou com os outros", vincou.

No entanto, Passos Coelho realçou que o partido que lidera quer saber "o que se passa e, se alguma coisa se passou que tenha responsabilidade na Autoridade Tributária, ou mesmo no Governo, cá estamos para tirar as conclusões".

O líder voltou a realçar que já se sabe que "as transferências que foram feitas não careciam de autorização" e que o dinheiro "saiu [do país] porque quem o tinha queria colocá-lo noutro lado".

"Pagou impostos por isso se esse dinheiro devia ser pago ao Estado ou não? Nós queremos saber. Aparentemente não haverá dinheiro a pagar ao Estado", porém, o PSD quer saber, "nem que seja um euro", frisou.

As declarações de Passos Coelho vão na mesma linha das de Assunção Cristas. Também no sábado a líder do CDS-PP afirmou que
 "é muito claro que não houve nenhuma responsabilidade política" na transferência de quase dez mil milhões de euros para os ‘offshore’ sem tratamento pela Autoridade Tributária e Aduaneira, entre 2011 e 2014.

Passos Coelho salientou ainda que, enquanto o país anda "distraído" com "outras conversas, o Governo não diz porque se cresce metade" daquilo que se cresce em Espanha, ou porque Portugal paga mais do dobro de juros do que o país vizinho.

Para o líder do PSD, é "lícito concluir" que, se hoje Portugal não está a crescer "tanto e a pagar mais" em juros é porque mudou de Governo, "ao contrário de Espanha".

Passos Coelho falava durante um jantar do partido, em Ourém, onde foi apresentado o candidato do PSD à Câmara daquele concelho, o vereador Luís Albuquerque.




A sua opinião7
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Camponio da beira 13.03.2017

Conhecendo o passado de passos e socrates, num país a sério, nenhum deles tinha curriculum para ser candidato sequer a uma junta de freguesia.

Anónimo 12.03.2017

Quem é que era amigo do coração do Hugo Chavez? quem mandava na PdV ...ora era Hugo Chavez/Maduro, que pediu ao amigo do amigo para enviar dinheiro para as off shores? os amigos do defunto Chavez já estavam a preparar o pé de meia quando forem corridos do poder... É difícil não?

Por falar em fazer figura de IDIOTA, ppc. fala 12.03.2017

com conhecimento de causa. Catedrático na matéria ppc. confirma que os governos (dele) apenas servem para sacarem à classe média (indefesa) o que devia ser dividido por todos. A idiotice deste individuo é patológica visto não ter aprendido com o atual governo. Ao serviço do grande capital ppc. fiel

querem ver que o povo tem pedir desculpa aos ladrõ 12.03.2017

Por este caminho o ladrão a que foi assaltado ?Ainda bem que temos uma geringonça para separar o trigo do joio,como social democrata honesto vou votar na geringonça nota-se que é gente séria,temos que por travão nos assaltantes disfarçados de democratas.o povo conhece os ladrões, são muitos.

ver mais comentários
pub
pub
pub
pub