Política Passos lembra medidas do seu Governo que ajudaram câmaras a pôr "as contas em ordem"

Passos lembra medidas do seu Governo que ajudaram câmaras a pôr "as contas em ordem"

O líder do PSD defendeu, este domingo, medidas do seu Governo que ajudaram as autarquias a pôr "as contas em ordem", lamentando que essa boa herança "esteja a ser desbaratada" e os serviços públicos a aumentar as dívidas.
Passos lembra medidas do seu Governo que ajudaram câmaras a pôr "as contas em ordem"
Lusa 24 de setembro de 2017 às 15:50

"Temos um orgulho muito grande nos nossos autarcas e, sempre que tivemos responsabilidades de governo, procurámos criar condições para que as nossas autarquias pudessem ter mais competências e mais equilíbrio", defendeu, num almoço de apoio ao candidato do PSD (e também apoiado pelo MPT) à Câmara de Leiria, Fernando Costa.

 

A este propósito, Passos Coelho recordou duas medidas do Governo PSD/CDS-PP que liderou que considera terem sido essenciais para o processo de desendividamento das autarquias: um programa de apoio especial em 2013 de cerca de mil milhões de euros para os autarcas pagarem as "dívidas mais emergentes" e a lei dos compromissos, saudando que o actual Governo ainda não a tenha revertido.

 

O líder social-democrata saudou o contributo positivo que os municípios portugueses têm dado para o desendividamento do país e sublinhou que, "quanto melhores contas públicas" existirem nas autarquias e no país, "melhores serviços" poderão ser prestados aos cidadãos.

 

"Deixámos para o futuro uma boa herança, que pena que esta herança está a ser desbaratada e as dívidas se começam a acumular e as dificuldades dos serviços públicos em prestar bons serviços resultem da dificuldade que o Estado tem de satisfazer, do ponto de vista orçamental, necessidades reais que existem", lamentou.

 

Passos aproveitou para contrariar o primeiro-ministro, António Costa, e reiterar que o Governo "está a gastar menos" do que o executivo que liderou na área na saúde, descontados os aumentos dos salários.

 

Antes, o ex-líder parlamentar do PSD Luís Montenegro, que se juntou hoje pela segunda vez ao líder na campanha autárquica, acusou PS, PCP e BE de "prometerem tudo a todos" nas vésperas das autárquicas de 1 de Outubro.

 

"O próximo Orçamento do Estado vai ser, de facto, uma maravilha, tal é o leilão e competição em que António Costa, Jerónimo de Sousa e Catarina Martins andam. Cada um dos três é capaz de se levantar e dizer para o espelho: ‘espelho, espelho meu, há na geringonça quem prometa mais do que eu?'", ironizou.

 

As intervenções políticas em Marrazes (Leiria) decorreram sob um sol intenso, seguindo-se um almoço de porco no espeto no qual Passos Coelho já não participou, seguindo para a próxima acção de campanha.




pub