Política Passos recusa falar sobre futuro do PSD e diz que não é comentador

Passos recusa falar sobre futuro do PSD e diz que não é comentador

O ainda presidente do PSD recusou hoje falar sobre o futuro do partido e a nova liderança de Rui Rio, alegando que não é comentador e criticou a "gente tonta" que faz considerações sobre tudo o que pensa.
Passos recusa falar sobre futuro do PSD e diz que não é comentador
Bruno Simão
Lusa 12 de fevereiro de 2018 às 19:26

Questionado hoje por um aluno da Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra (FEUC), no período de debate de uma conferência sobre o Orçamento do Estado de 2018, sobre a proximidade de Rui Rio à esquerda e o futuro do PSD na oposição ao Governo socialista, Passos Coelho deixou sem resposta a plateia de cerca de 300 alunos universitários.

 

"Não é porque eu não pudesse fazer comentários, mas eu não sou comentador. As pessoas pensam, evidentemente, mas não são obrigadas a dizer tudo o que pensam, senão nós assemelhávamo-nos a gente tonta que, em todas as circunstâncias, resolvia fazer considerações sobre todas as coisas que pensam", afirmou Passos Coelho.

 

"O que eu penso sobre o que se passou nestas eleições do PSD, sobre a estratégia que vai ser seguida, sobre o que o doutor Rui Rio vai fazer ou não vai fazer é, por agora e por muito tempo, uma matéria que só a mim me diz respeito", argumentou.

 

Passos Coelho lembrou que presidiu ao PSD durante oito anos e frisou que a "última coisa" que gostava de fazer era completar o mandato a fazer comentários sobre o futuro do partido.

 

"Foi um futuro a que eu não concorri", sustentou Passos Coelho.

 

No entanto, o presidente dos sociais-democratas, que deixa a liderança no próximo fim-de-semana, revelou "muita confiança" em que o PSD desempenhe um papel "muito relevante" no espectro político e partidário português, manifestando-se seguro de que o partido "terá um papel decisivo no futuro".

 

"Tenho a certeza de que toda a gente estará imbuída no melhor espírito para que o seu mandato seja bem-sucedido. Porque o partido é de todos nós e a esmagadora maioria das pessoas que eu conheço dentro do meu partido só querem o bem ao seu país e querem que as coisas possam correr o melhor possível para futuro", declarou Passos Coelho.

 




A sua opinião7
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
comentar
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentários mais recentes
Tentando Perceber a Política 13.02.2018

Não sei Comentador, não é nada, revelou ser um mancebo do poder Capital Estrangeiro, a 1º Ministro serviu para enfermar a vida de todos os Portugueses, do mais Pobre ao mais RICO, e para Mal dos Portugueses, li á Pouco que conseguio um TACHO a Professor, espero que pelo menos seja do no PSD.

Camponio da beira 13.02.2018

Bruxelas já acusou a Tecnoforma de Passos de fraude de 6 milhões, seria bom que explicasse isso. Além de que a forma como foi dada a formação era tudo menos clara.Muitos formandos se calhar nunca souberam.

A geringonça foi uma dádiva de Deus.Sorte do Povo 13.02.2018

Destruístes o Partido e o País,vai com o diabo e fica para lá.Ex.votante do PSD com meu voto não mamas mais.

Judas a cagar no deserto 12.02.2018


Lembram-se do gajo que pediu 78.000.000.000 eur à troika ?

Foi esse, sim . . . . foi esse que fudeu isto tudo.

Foi José Sócrates, era. . . .. do PS.

ver mais comentários
pub